Professores são proibidos de reprovar alunos

by

Professores são proibidos de reprovar alunos

Medida adotada em escola no Barreiro causa revolta dos educadores; diretor diz que apenas transmitiu ordem da Secretaria de Educação

Carolina Coutinho e Rafael Rocha

Publicado no Super Notícia em 27/10/2010

Professores da Escola Estadual Professora Maria Belmira Trindade, na região do Barreiro, em Belo Horizonte, estão proibidos de reprovar os alunos que não alcançarem o mínimo de 60 pontos por disciplina até o final deste ano letivo. A denúncia partiu do próprio corpo docente, que recebeu a ordem do diretor da instituição, durante reunião, no último sábado.

O diretor, Neviton Abreu, por sua vez, afirmou que apenas transmitiu uma determinação da Secretaria de Estado de Educação (SEE).

Professor de história, Bruno Dutra, está indignado. “Com uma ordem desse tipo, perde-se todo o sentido de se realizar um bom trabalho. Não precisamos mais trabalhar. A escola virou, agora, um espaço de contenção de pessoas. Estamos indo à escola para vigiar meninos, para que não fiquem na rua?”.

Segundo ele, a única maneira de aplicar a reprovação seria por meio de um relatório descritivo do desempenho do aluno, contendo todos os documentos, trabalhos e provas realizados pelo estudante. Porém, tal relatório, na visão dos docentes, é impossível de ser feito e que, quando o é, é invalidado pelos superiores.

“A diretoria diz que os relatórios não estão bons, que têm que explicar detalhadamente o que o professor fez para ajudar o aluno a melhorar, especificar as atividades realizadas durante o ano todo que justifiquem a reprovação e mandar tudo isso documentado para a secretaria. Temos que mandar as atividades em anexo, mas como são muitos alunos, é impossível fazer isso. Muitos, simplesmente não fazem as atividades, então não temos como documentar”, afirmou.

A professora de biologia da mesma escola Amanda Lage confirma a ordem e se diz abismada com a situação. “Temos alunos no ensino médio sem saber ler e escrever direito. Alguns professores conseguem fazer o relatório e, mesmo assim, não conseguem reprovar. Já houve casos de sumiço de relatórios e a aprovação do aluno em questão”.

Secretaria

A Secretaria de Estado de Educação negou a proibição da reprovação e disse que a exigência do relatório é uma medida individual da escola, mas que, neste caso, é determinante, mais que a nota, na aprovação ou não do estudante. Ainda segundo a secretaria, aos alunos de baixo desempenho, a escola deve ofertar diferentes estratégias para ampliar as oportunidades de aprendizagem e de avaliação.

COUTINHO, Carolina e ROCHA, Rafael. Professores são proibidos de reprovar alunos. Super Notícia, 27 de outubro de 2010. Disponível em http://www.otempo.com.br/supernoticia/noticias/?IdNoticia=49477. Acesso em 29 de outubro de 2010.

Mais uma escola que não pode reprovar

Publicado no Super Notícia em 28/10/2010

O caso da Escola Estadual Maria Belmira Trindade, na região do Barreiro, em Belo Horizonte – que denunciou ter recebido uma recomendação da Secretaria Estadual de Educação (SEE) para não reprovar alunos, mesmo que não alcancem os pontos necessários -, pode não ser o único em Minas.

Segundo a presidente do Sindicato Único dos Trabalhadores do Ensino (Sind-UTE), Beatriz Cerqueira, uma professora da Escola Estadual Professora Geralda Magela Leão de Melo, em Itaúna, região Central do Estado, procurou o sindicato para fazer a mesma denúncia.

A professora disse que a orientação na escola também é para não reprovar alunos. A reportagem do Super Notícia ligou para a escola de Itaúna, mas uma supervisora, que não quis se identificar, negou as informações. Com medo de retaliações, a professora que fez a denúncia não teve o seu nome revelado pelo Sind-UTE. A SEE não quis comentar o caso.

Segundo Beatriz, a situação das escolas é complicada porque a secretaria faz as recomendações de forma informal. “Eles não enviam um documento ou qualquer coisa oficial. As recomendações são em conversas e reuniões com diretores ou professores. Assim, quando questionamos a secretaria sobre esses fatos, eles negam e dificultam as investigações”, disse.

A sindicalista avalia que o objetivo do governo é mascarar a qualidade do ensino e os índices de reprovação no Estado. “A intenção é fazer com que Minas tenha bons índices nas avaliações. Vamos até a SEE para ver essas denúncias”, disse.

Investigação

A promotora da Infância e Juventude de Belo Horizonte, Matilde Patente, disse que o Ministério Público Estadual pode investigar o caso da escola do Barreiro. Mas ela ressaltou que, para agir, o órgão precisa ser provocado pelos professores ou pais.

Bruno Dutra, professor da escola, disse que os professores irão se reunir nesta semana para avaliar essa possibilidade. O Sind-UTE também vai participar.

SUPER NOTÍCIA. Mais uma escola que não pode reprovar. Super Notícia, 28 de outubro de 2010. Disponível em http://www.otempo.com.br/supernoticia/noticias/?IdNoticia=49509. Acesso em 29 de outubro de 2010.

About these ads

5 Respostas to “Professores são proibidos de reprovar alunos”

  1. Cure Says:

    Gato Preto, isso existe desde o início dos tempos, um professor meu que deu aula em escolas públicas disse que os Alunos só repetem por falta. Não sei por que algumas pessoas se afobam tanto com algo que sabem que existe mas preferem ignorar…

  2. Tweets that mention Professores são proibidos de reprovar alunos « Contra os reis e as religiões -- Topsy.com Says:

    [...] This post was mentioned on Twitter by Paulo Francis, Débora Tavares. Débora Tavares said: E a Educação em Minas continua péssima mesmo!! "Professores são proibidos de reprovar alunos" http://bit.ly/aM5ur1 [...]

  3. Gato Preto Says:

    Eu já denunciei essa desgraça da aprovação automática no Ministério Público.
    Eu também sou professor de Matemática, e sei a porcaria que sai quando se cobra alguma coisa dos meninos. Eu dei um trabalho nas minhas turmas, duas de 9º ano do 1º grau e duas de 1º ano do 2º grau (é o mesmo trabalho 1 anexo ao texto “A aprovação automática na escola pública: professor dá nota baixa à turma e tem de pedir dispensa”, em http://semsenhores.wordpress.com/2010/07/11/aprovacao-automatica-escola-publica/). No 1º ano, de um total de 34 alunos, 4 foram os que não tiraram zero.
    Walter

  4. sofrida Says:

    É uma pena saber que teremos que ser coliventes com os malandros, mas fazer o que se nao temos apoio nenhum. Reze para que no futuro próximo nossos netos nao seja educado por um profissional que nao sabe olhar a lista de chamada.

  5. deniseneiva2006@hotmail.com Says:

    Com sinceridade. Passar os alunos por esta proposta, é jogar todo um trabalho pelo ralo e o nosso diploma também. O governo não tem competência para renovar a infraestrutura das escolas, dai passar os alunos de qualquer maneira é mais fácil. “EU MANDO, ELES OBEDECEM”. ISTO É UMA VERGONHA!

    Escola integral, engraçado de nada esta servindo, haja vista, de que continuam a mesmice de uma escola do século XV. CUSPE E GIZ.
    Se não mudar o nucleo das escolas de nada adiantará aprovar um alunos, sem que ele esteja preparado para vida cidadã! A não ser que o objetivo seja muito além do emaranhado todo. Deixar que pobres coitados, continuem cabrestados pela História política brasileira, analfabetos funcionais.
    Me ajuda ai!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: