Arquivo da categoria ‘Sistema Paraíso Concreto – O Reino de Deus’

Jornal Grito Cidadão: “Novo linchamento judicial nos EEUU”

20 novembro 2011

Novo linchamento judicial nos EEUU

Por : Carlos A. Lungarzo

Em Jackson, no estado de Georgia, no Sul profundo americano, região chamada de Biblia Belt (cinturão da Bíblia), por causa da superstição e o fanatismo místico, e seu profundo e visceral racismo, um afrodescendente de 42 anos, Troy Anthony Davis (1968-2011) foi executado na madrugada da 5ª feira 22 de setembro, com uma injeção letal, no presídio da cidade.

Davis sofreu o sadismo doentio do sistema penal-judicial americano, representado por 20 anos de espera por sua execução, enquanto todas as protestas de milhões de pessoas no planeta, e os sucessivos recursos eram ignorados. Como sempre, o réu é submetido a um último ato de cinismo e crueldade. Em épocas ainda piores que as atuais, os esposos comunistas Julius e Ethel Rosenberg (1953) foram eletrocutados com eletrodos mal grudados, sem o uso do fluído condutor, para que a corrente passasse lentamente, e suas cabeças pegassem fogo quando ainda estavam vivos. Hoje, quando se usa o “humanitário” método da injeção, isso não é possível. Então, os juízes demoraram 4 horas o momento da execução, no intuito de que o prisioneiro se desesperasse. Mas isso não aconteceu.

De maneira calma e corajosa, Troy esperou a morte, olhando nos olhos dos parentes do policial cujo homicídio se lhe atribui sem nenhuma prova, e apenas com testemunhas que acabaram se retratando (7 de 9). Nada que italianos e brasileiros não conheçam . Com o olhar fixo, Troy disse calmamente que ele era inocente, e foi levado à sala onde se lhe aplicou a injeção.

Como os aparatos policiais e militares, especialmente em países violentos, procuram apenas vingança, os “espetadores” que assistiram o morboso espetáculo devem ter pensado que não importava se Troy era culpável ou não. Ele pagaria pelo verdadeiro assassino. Veja.

Troy foi defendido durante anos por Anistia Internacional , e celebridades do mundo todo, incluindo o ex-presidente Carter e o Papa Bento 16, pediram seu indulto. No Brasil, o caso passou despercebido. A continuação, transcrevo o comunicado da Anistia.

Comunicado Anistia Internacional

Segue o texto oficial da Anistia Internacional, que reproduz integramente o documento original de nossa organização. Por falta de tempo, tenho usado a tradução do jornal Expresso , de Portugal, que parece correta. Os grifos e os textos entre [] são meus.

Início do Texto

EUA executaram Troy Davis

Amnistia Internacional

15:33 Quinta feira, 22 de setembro de 2011

A Amnistia Internacional condenou a decisão das autoridades do Estado da Geórgia de executarem o prisioneiro no corredor da morte, Troy Davis.

Troy Davis , de 42 anos, que se encontrava no corredor da morte desde 1991, foi executado por injeção letal na prisão do Estado da Geórgia em Jackson, no dia 21 de Setembro, apesar das sérias dúvidas em torno da sua condenação.

No mesmo dia, o Irão enforcou publicamente um jovem de 17 anos condenado pelo homicídio de um popular atleta, apesar das proibições internacionais sobre a execução de adolescentes, enquanto a China executou um paquistanês condenado por tráfico de drogas apesar dos crimes de droga não se incluírem nos crimes “mais graves” do direito internacional.

“Este é um dia triste para os direitos humanos em todo o mundo. Ao executarem estes indivíduos, estes países estão a mover-se contra a corrente global da abolição da pena de morte”, afirmou Guadalupe Marengo, Vice-diretor da Amnistia Internacional para a América.

“Os países que mantêm a pena de morte defendem muitas vezes a sua posição reivindicando que o uso que fazem da pena de morte é consistente com a legislação de direitos humanos internacional. As suas ações no dia 21 de Setembro contradizem flagrantemente estas reivindicações”, afirmou a Vice-diretora.

Os ativistas da Amnistia Internacional fizeram uma extensa campanha contra a pena de morte. Nos últimos dias, foram enviadas, às autoridades da Geórgia, quase um milhão de assinaturas em nome de Troy Davis , apelando para comutarem a sua sentença de morte. Foram realizadas vigias e eventos em aproximadamente 300 locais por todo o mundo.

Troy Davis foi condenado à morte em 1991, pelo homicídio do polícia Mark Allen Macphail em Savannah, no estado da Geórgia. O caso contra Troy Davis baseou-se principalmente em declarações de testemunhas. Desde o seu julgamento em 1991, sete das nove testemunhas chave retiraram ou alteraram o seu testemunho, algumas alegando coerção policial.

O adolescente iraniano Alireza Molla-Soltani foi enforcado na manhã de 21 de Setembro diante de uma multidão na cidade de Karaj. Foi condenado à morte no mês anterior por apunhalar Ruhollah Dadashi, um popular atleta, durante uma disputa na sequência de um acidente de viação a 17 de Julho. O jovem de 17 anos disse que entrou em pânico e apunhalou Ruhollah Dadashi em legítima defesa depois do atleta o atacar num local escuro, de acordo com os relatos dos media locais.

Zahid Husain Shah , detido em 2008 por tráfico de drogas, foi executado na China por injeção letal no dia 21 de Setembro.

No mesmo dia, Lawrence Brewer foi também executado em Huntsville, no Texas. Foi condenado à morte pelo seu papel no homicídio de James Byrd Jr., em Junho de 1998.

A Amnistia Internacional opõe-se à pena de morte em todos os casos, sem exceção.

“A pena de morte é um sintoma de uma cultura de violência e não uma solução”, acrescentou Guadalupe Marengo. “Devemos manter a esperança e as execuções angustiantes levadas a cabo no dia 21 de Setembro devem levar os membros da Amnistia Internacional e outros ativistas a quererem continuarem a luta contra a pena de morte”.

Para além dos EUA, da China e do Irão, a campanha da Amnistia Internacional para a abolição da pena de morte foca-se na Bielorrússia.

A Amnistia Internacional está a trabalhar com o Centro de Direitos Humanos Viasna , uma Organização Não Governamental, na Bielorrússia [no Brasil conhecida por seu nome em inglês, Belarus], apelando ao Presidente Lukashenko para suspender imediatamente as execuções e comutar as sentenças de todos os indivíduos que se encontram no corredor da morte.

[NOTA minha: Para acessar o site de Viasna, na Belarus, clique no nome desta ONG. O texto está em inglês.]

Desde que o país declarou a independência em 1991, estima-se que 400 pessoas tenham sido executadas na Bielorrússia. Depois de um ano sem execuções, as autoridades bielorrussas executaram dois homens em 2010 e condenaram três pessoas à morte e outros dois homens foram alegadamente executados entre 14 e 19 de Julho de 2011, apesar de não ter havido confirmação oficial das suas mortes. A Bielorrússia é o ultimo país na Europa e na antiga União Soviética que ainda realiza execuções.

Final do Texto

As nove testemunhas disseram inicialmente que tinham visto Troy atirando no policial, mas, vários anos depois, quando a causa foi julgada em segunda instância, sete deles reconheceram que tinham sido ameaçados e extorquidos pela polícia para declarar contra Davis. Para que o julgamento parecesse normal, o juiz e o promotor escolheram mais de metade de jurados negros, mas estes confessaram depois que, por causa da perseguição racial no Sul americano, e a situação indefensa de afroamericanos pobres, eles votaram pela condenação pois se sentiam incapazes de suportar as ameaças do promotor e dos juízes contra os membros de suas famílias.

Diretos Humanos nos EEUU

Quando se criou o estado americano, composto pelas colônias originais, os “pais da pátria” deixaram claro tanto em seus discursos individuais como na Declaração da Independência, que a nova nação estaria regida por princípios básicos: a crença em Deus (um lema que aparece nas notas de dólar), a supremacia da propriedade privada ilimitada sobre qualquer outro direito, e o privilégio de submeter pelas armas quaisquer outros povos ou etnias. Isto teve sua versão mais explícita na teoria do Destino Manifesto, de 1985, que justificava a agressão americana em qualquer lugar que fosse acessível a suas tropas.

Essa visão totalitária planejada no momento mesmo da criação do estado não possui equivalentes. Outros estados notoriamente racistas, como a África do Sul do apartheid , e o Estado de Israel, desenvolveram seu racismo na medida em que avançavam seus projetos de agressão contra etnias maioritárias (negras e árabes, respectivamente), mas o projeto racista não foi formulado de maneira explícita na fundação desses países.

Além disso, a força econômica e militar dos EEUU tem tornado muito difícil a luta contra a violação dos direitos humanos básicos. A formação de grandes grupos sociais fundamentalistas, a exaltação do colonialismo e do racismo, e a poderosa propaganda de ódio da mídia, mantiveram como únicos direitos humanos o porte de armas e a livre expressão . Embora o segundo seja um direito legítimo, ele foi pensado para combinar os interesses dos magnatas da mídia. Aliás, toda norma jurídica, sem exceção, pode ser violada, como mostra o caso dos prisioneiros de Guantánamo.

Enquanto certos países são estigmatizados por seu terrorismo de estado e a comissão de horríveis genocídios, como Ruanda e Sudão, os EEUU são vistos com normalidade por grande parte da população mundial que não sofreu suas invasões, pois, afinal, são brancos, cristãos e ricos. Além disso, centos de milhões de pessoas possuem negócios, nexos acadêmicos e técnicos e outros tipos de parceria como os americanos.

A citação de Anistia Internacional do terrível crime contra Troy está acompanhada de relatos sobre execuções no Irão, na China e na Belarus, e outro de um americano. Isto não é por acaso. Os EEUU estão no terceiro lugar de terrorismo de estado “legalizado” no planeta. Embora seu exercício da morte e a tortura sejam menores que em alguns países de Ásia e América do Sul, a impunidade que significa criar leis para cometer esses atos coloca grande parte do planeta em risco de sofrer genocídios derivados das invasões americanas e, consequentemente, tortura, como em Abu Ghraib, e execuções, como as que se praticam quase continuamente nos estados do Sul e em alguns outros.

Para algumas sociedades sul-americanas, mergulhadas em problemas só nacionais, a morte de Troy Anthony Davis nem foi percebida. Entretanto, nos países mais organizados do mundo, o fato provocou uma onda de terror e repúdio. Milhares de pessoas se estão organizando contra a pena de morte em todo o planeta. Convém lembrar que o Brasil não tem pena de morte para civis desde a ditadura, mas nunca foi derrogada a infame e paleolítica lei que permite aplicar a pena de morte em caso de Guerra. Talvez, Brasil nunca mais entre em nenhuma guerra, mas, mesmo assim, este privilégio dos militares para decidir sobre as vidas humanas em nome da guerra, é uma mácula terrível para um país que pretende ser civilizado. A Argentina, apesar de sua proclamada política de Direitos Humanos, somente derrogou a pena de morte em caso de Guerra há dois ou três anos.

Tudo isto deve nos fazer refletir sobre a barbárie que ainda vivemos, e começou a ser lentamente combatida desde 1945. O que falta  é muito mais do que já se fez. O mais importante é que ONU produza uma convenção contra a Pena de Morte, assim como existe uma convenção contra a tortura.

carloslungarzo01@gmail.com

http://www.abdic.org.br/linchamento_judicial.htm

Grupo O Reino de Deus:
Os laços entre religião e totalitarismo, preconceito, abuso de autoridade, repressão ao sexo, entre outras coisas
http://www.grupos.com.br/group/oreinodedeus
oreinodedeus@grupos.com.br
Grupo Paraíso Concreto:
Ateísmo, anarquia, movimentos, viver bem e ações práticas
http://groups.google.com/group/paraiso-concreto
http://www.grupos.com.br/group/semsenhores
semsenhores@grupos.com.br
Fórum Paraíso Concreto:
http://paraisoconcreto.forumeiros.com/

Os valores tradicionais são a fonte das desgraças da humanidade

23 outubro 2011

Imaculada Virgínia Pereira Souto e


Abigail Pereira Aranha


Em primeiro lugar, tradição é passar gerações sem aprender com os próprios erros. Tirando alguns poucos sortudos, nenhuma pessoa sensata gostaria de ser como os avós.


Mas algumas pessoas inteligentes pouco atentas, e outras nem tão inteligentes, acham que certas porcarias chamadas valores tradicionais são os pilares da sociedade. A sociedade onde é melhor ser ladrão que ateu, onde milionário criminoso fica solto e pobre honesto ganha pena de morte, onde ser inteligente é pior que ser assassino,… Vamos falar um pouquinho desses sustentáculos da sociedade. Será que algum defensor desses valores pode nos mostrar o valor deles? (Deu um trocadilho legal, hehehehe)


Família. O que é uma família além de um bando de pessoas ligadas só por serem irmãs, primas, cunhadas, umas das outras e não têm nenhum outro motivo pra se tolerarem? E você deve amar essas pessoas, que você talvez não ficaria do mesmo lado da rua se não fossem os laços familiares, como quem foi condenado a pagar uma dívida. Você tem que estar naquela ceia de Natal chata com os tios semianalfabetos, as primas gordas desagradáveis, os primos idiotas, quando poderia estar com alguém melhor (ou sozinho mesmo). A família pode te criar enchendo a cabeça de lixo como se tivesse esse direito. A família antes podia atrapalhar os seus namoros que podem dar certo ou te obrigar a um casamento infeliz, porque as famílias são geralmente formadas quase só de medíocres, e medíocres se puderem farão uns aos outros tão infelizes quanto eles próprios. Observe que em geral uma pessoa inteligente só vai achar um grande amigo e pessoas que lhe acrescentam não só fora da família como longe dela. Claro que o pai e a mãe são importantes para uma criança, mas alguns pais são idiotas que quando a criança já começar a ter um certo conhecimento já vão estar fazendo asneiras.


Casamento. Casamento não é nem sexo seguro, pra começar. Não diziam que homossexuais, prostitutas e galinhas eram grupos de risco de doenças venéreas? Se eles não fossem procurados por homens casados, essas doenças teriam morrido com eles, né? Hoje, a base do casamento pode até ser o amor (ou a ilusão), mas antes era a falta de respeito dos pais pelos filhos. Afinal, os pais podiam escolher os cônjuges dos filhos até por dinheiro. Até um nobre podia ter um casamento infeliz com alguém por quem nunca teve um bom sentimento. Como no caso da família, o amor no casamento, de antes ou de hoje, é cobrado como se cobra uma conta atrasada.


Propriedade privada. Começando avisando aos que não sabem: posse é algo que a pessoa tem para o seu próprio uso, propriedade é o que a pessoa tem para ganhar dinheiro. A posse geralmente não faz falta para outra pessoa, a propriedade privada que não é posse faz. Um exemplo de o que é a propriedade privada, você pode pesquisar e descobrir casos de sentenças judiciais para famílias que não tem pra onde ir saírem do terreno que estava abandonado havia 10 ou 20 anos antes de elas construírem suas casinhas. A busca pela propriedade privada é a causa do crime, da corrupção. A propriedade privada é fruto da vaidade, pode ser desde o celular de 600 reais comprado por 100 pra fazer inveja à vizinha ou pode ser a mansão construída com dinheiro público desviado.


Pátria. Aliás, o que é a pátria? É todos ou não é nenhum de nós? É o lugar onde nós vivemos e tudo e todos que estão nele? Vamos supor que seja. Se essa pátria é o lugar onde você trabalha como um cavalo, passa uma raiva em cima da outra, ganha mal, mora mal e só é lembrado pra consertar serviço porco do governo e do chefe mas nunca na época das vacas gordas, por que você deve amar a pátria? Quando a pátria vai amar você? Você deve fazer sacrifícios pela pátria, mas qual é o sacrifício pra pátria fazer alguma coisa por você? Defender a pátria sempre foi um dos motivos para os golpes de estado, para as ditaduras, para pessoas honestas morrerem, para pessoas honestas matarem pessoas honestas de outros países.


Autoridades. A autoridade quando não é um animal que tem poder ou que serve quem tem poder, é alguém de honra que não pode fazer o que deve ser feito por causa de quem tem poder. O crime que faz alguns burguesinhos mal acostumados gritarem por pena de morte é bonito perto do que algumas autoridades fizeram só pra demonstrar a sua força. As piores épocas da História foram exatamente quando o poder da autoridade era absoluto. E as melhores épocas foram de luta contra ou limitando o poder da autoridade. Até o capitalismo começou assim.


Castidade. Castidade é burrice. Como é que alguém pode contar vantagem de nem ver nada perto de sexo? Com a castidade todas as mulheres ganham: as bonitas porque ganham valor (de mercado) e as feias porque não têm que competir com as bonitas. E todos perdem. Os homens perdem sexo, as mulheres também, o sexo vira comércio (prostituição e pornografia). E o sexo (ou a repressão ao sexo) vira pretexto pra prender prostitutas e produtores de safadeza que não seriam presos por nenhum outro motivo. Vira também pretexto pra fazer denúncia anônima pra prejudicar gente de bem. Vira pretexto pra uma mocréia antipática destruir uma mulher mais agradável que ela (às vezes não só fisicamente) ou um homem que não quer agir como capado, e sem que isso pareça inveja e maldade.


Deus. Fofo, a gente também tem amigos que acreditam em Deus. Então, se você acredita em Deus, a gente não quer que você se sinta ofendido com a gente dizendo que Deus é a maior burrice criada pelo homem. Quando você virar ateu (se virar) você vai entender do que a gente está falando. Deus não existe. Deus justifica o injustificável, justifica todos os “valores” que mostramos acima. Se Deus existe, tudo é permitido. Menos o progresso. Países com mais de 98% de religiosos são países cheios de analfabetos e mal alfabetizados, onde tudo vai mal, onde o absurdo acontece, onde a vida não é decente. Ninguém tem prova inteligente do contrário. Ah, e o que algumas antas chamam de princípios cristãos na verdade são princípios de bom senso e de ética que já existiam antes e fora do cristianismo. E em nome de Deus, o amarás ao teu próximo como a ti mesmo e até o não matarás vão pro ralo.


Não houve um episódio lastimável e dispensável da história da humanidade que não tenha sido pra defender ou causado por um valor tradicional.


Preservar os valores tradicionais é como dar acabamento em parede podre. Muito gasto de tempo e dinheiro, muito mal desnecessário, muitos justos prejudicados pra defender ou pra pagar pelas consequências destes valores. Por isso que enquanto defendemos família, moral e bons costumes, pátria, imperador, sã doutrina, uma pessoa não via quase nada de mudança a vida toda.


Ah, mas sem esses valores, a sociedade entraria em colapso. É mesmo? É a única coisa que os valores tradicionais têm a oferecer: se não fosse por eles, a sua vida seria ainda mais desgraçada do que já é. Isso é o que os defensores dizem, só que eles falam por eles mesmos. Se não fosse pelos valores tradicionais, a vida DELES seria pior. Porque eles são covardes, insuportáveis, idiotas ou perversos demais pra viver numa sociedade de pessoas justas, amáveis e inteligentes unidas pelo amor e pela cooperação. E lutar contra essas pessoas, ou superar as consequências do que elas fazem, nos deu mais trabalho do que o homem primitivo teve pra enfrentar a seca ou a doença.


Então, vamos ter valores que tenham valor.


Contra a família, valorize quem ama e valoriza você, que pode até estar dentro da família de sangue. Faça o que puder pra estar junto das pessoas que querem a sua felicidade, no almoço de domingo ou na doença. Quem vai estar do seu lado na má fase da sua vida não vai ser a família, vai ser quem ama você dentro e fora dela.


Contra o casamento tradicional e a castidade, o casamento aberto ou cair fora do casamento. Para os homens, o puteiro. Para as moças, sexo sem compromisso com homens que prestam. Se não for perigoso, assuma para outras pessoas que você não tem por que ter vergonha de gostar de sexo e é sem vergonha (hehehehe). Se for perigoso, você pode nos mandar o e-mail de um amigo ou inimigo e a gente manda umas indecências pra ele, hehehehe.


Contra a propriedade privada, a simplicidade e a solidariedade. Dizer não ao consumismo é bom, mas é pouco, se não tomarmos cuidado vira gostar de ser pobre. Não vivam de aparência, muita gente quebra só pra parecer que tem dinheiro e realização. Homens, cuidado com o casamento, muitos homens têm uma vida de cão no mercado de trabalho só pra pagarem as contas que a esposa (ou ex-esposa) e os filhos fazem pra eles. E você pode até ter vergonha do que você tem, mas é difícil você ter tão pouco que não possa dividir algo com alguém que precisa e merece a sua ajuda.


Contra a pátria, o amor ao que presta e a quem traz algo que acrescente à sua vida. Melhorar o nosso ambiente, quem sabe o nosso país, e não deixar intocado o que está lá há muito tempo.


Contra as autoridades, o valor a quem se dá ao respeito, que pode ser até alguém em posição de autoridade, e a união.


Contra Deus… contra alguém que não existe? O verdadeiro ateísmo, que inclui o bem viver, a inteligência, o bom senso, o caráter. Queríamos poder dizer que tratando Deus como se ele não existisse ele ia acabar, mas a mediocridade por trás da religião é muito difícil de acabar. Então, viver o ateísmo acaba sendo uma luta contra a religião, que vai ajudar o ateu e quem ainda vai ser ateu.


E viva a vida e a anarquia. Do caráter, do ateísmo e da putaria a gente já falou, hehehehe.

Grupo O Reino de Deus:
Os laços entre religião e totalitarismo, preconceito, abuso de autoridade, repressão ao sexo, entre outras coisas
http://www.grupos.com.br/group/oreinodedeus
oreinodedeus@grupos.com.br
Grupo Paraíso Concreto:
Ateísmo, anarquia, movimentos, viver bem e ações práticas
http://groups.google.com/group/paraiso-concreto
http://www.grupos.com.br/group/semsenhores
semsenhores@grupos.com.br
Fórum Paraíso Concreto:
http://paraisoconcreto.forumeiros.com/

Resposta de um muçulmano ao texto “Resumo do Alcorão”

16 dezembro 2009

Um muçulmano mandou uma resposta ao texto “Resumo do Alcorão”, publicado no O Reino de Deus em http://oreinodedeus.wordpress.com/2008/11/11/resumo-do-alcorao/. É um comentário feito em 24 de janeiro que não foi aprovado lá, mas que publico na íntegra aqui. A mensagem não é de muita edificação, mas o estilo é parecido com comentários de alguns cristãos em fóruns e blogues ateus. Veja:

“Tudo que aconteceu no mundo foi originario do islam”

“Alcorão é um livro unico”

“Alcorão só existe em lingua arabe” (assim como, para alguns, a Bíblia só existe nas línguas originais)

“Para ler o alcorão, saiba que o alcorão é a palavra de Deus a
maome”

Os trechos selecionados já são suficientes, acredito eu. Observe que até os erros de ortografia e de formatação são os mesmos. Mas, se tiver curiosidade, pode ler a mensagem na íntegra (que é um tanto longa) logo a seguir.

Pois é, parece que as religiões e os religiosos são menos diferentes do que muitos pensam.

Walter Nunes Braz Júnior

Contra os Reis e as Religiões – Sistema Paraíso Concreto

Grupo Paraíso Concreto: http://groups.google.com/group/paraiso-concreto
  http://www.grupos.com.br/group/semsenhores
  semsenhores@grupos.com.br

Apêndice

Ola amigo , eu sou muçulmano.

Pelo visto você não sabe de nada e ainda tem preconceito contra muçulmanos e o islam.

Nós somos a religião que mais cresce no mundo com 1.5 bilhão de pessoas no mundo. Tudo que aconteceu no mundo foi originario do islam: a renascencia europeia, a revolução cientifica da europa, o fim de crenças e tabus no oriente-medio e até as descobertas tem um grande legado islamico, o fim da idade media e etc

1º Alcorão não conta nada da vida de mohammad, ja começa por ai. Alcorão não é copia da biblia, você fala isto porque você por causa do fanatismo cristão só conhece a biblia que é um livro cheio de mitologias persas, egipcias e sumérias. A biblia é um livro criado no século 4 no concilio de niceia em roma é a junção de 73 livros para a igreja catolica ou 66 igreja
evangelica.

A historia de adão e eva aparece em todas as escrituras sagradas antigas, nas de zoroastro, nas sumerias até em escrituras indianas, maomé no alcorão nos conta a historia porém modificando ela, no alcorão quem come o fruto é adão e não EVA desta forma ele tirou a culpa da mulher e depois ainda revelou que Deus perdoou adão, porque ele fez isto ? porque nada disto ocorreu e ele como emissario de Deus corrigiu a crença mostrando que a mulher não é culpada de nada e que Deus ainda perdoou tudo.

O alcorão não muda a ordem dos versos não, o que muda é a ordem que mohammad recebeu a revelação de Deus em relação a que foi junatada no alcorão versão encardenada ex: maome recebeu revelação x em terceiro, porem no alcorão ela ficou em 18º , isto é ex.

Alcorão é um livro unico que contem historias que a biblia tambem contem e outras historias(que os cristãos não conhecem por causa do fanatismo cristão), mais as mesmas historias são achadas em zoroastro, crenças hindus e etc, só que isto não é problema para o islam. Segundo maomé ele é um mensageiro que traz a revelação de tempos em tempos, esta é a teologia islamica, desde que o mundo existe Deus envia “fundadores de religião” que trazem um livro sagrado, um calendario, discipulos e um vaticinio.Esses mensageiros podem abbrrogar ou não a religião anterior a qual ele foi enviado, o mensageiro do tempo sempre vem dentro da ultima revelação .

EX:

Adão krisnah abraão moises davi zoroastro jesus maome

O numero total de mensageiros é de 124.000

2º Alcorão só existe em lingua arabe, o resto é versão, e tambem nestas versões custuman “biblicar” para parecer mais atraente para quem conhece só a biblia, uma vez no mazdeismo(seguidores de zoroastro) custumava-se “zoroastrar” o alcorão e por ai vai.

3º Para ler o alcorão, saiba que o alcorão é a palavra de Deus a maome(pouca gente por aqui sabe disto) alcorão é a palavra de Deus a maome ex:

” Não reparastes (ó Mohammad) nos líderes dos filhos de israel que, depois da morte de Moisés, disseram ao seu profeta: Designa-nos um rei, para combatermos pela causa de Deus. E ele perguntou: Seria possível que não combatêsseis quando vos fosse imposta a luta? Disseram: E que escusa teríamos para não combater pela causa de Deus, já que fomos expulsos dos nossos lares e afastados dos nossos filhos? Porém, quando lhes foi ordenado o combate, quase todos o recusaram, menos uns poucos deles. Deus bem conhece os iníquos. ” [AlCorão 2:246]

Esse “não reparaste” é Deus falando para maomé reparar, todo o alcorão é Deus falando para maomé, maome que era analfabeto trazia a mensagem para ser decorada e escrita sempre de Deus para ele, o que era esquisito para as pessoas(mesmo para acusa-lo de fraude), porque Deus falava para maomé e ele trazia sempre o que Deus falava pra ele.

4ºO alcorão é rimado em arabe, o alcorão é igual versos de repentistas brasileiros.Porque os arabes da epoca de maomé era repentistas poetas tudo eles falavam cantando em versos rimados, então  o alcorão em arabe original ele é todo rimado verso por verso, justamente segundo maome para desafiar os arabes.

5º Você não pode interpretar o alcorão em portugues.Para intepretar o alcorão tem que aprender o arabe classico e ler a sunnah(segunda fonte sagrada do islam) nela maome em pessoa explica os capitulos do alcorão, as parabolas , adão não é o primeiro homem no islam e sim o primeiro profeta, maomé mostra o que ele abbrrogou da lei judaica ou cristã e o que ele canonizou(porque ele como mensageiro tem este poder).Uma vez que você estude o arabe classico, o alcorão em arabe original e a sunnah você então pode interpretar e participar da lei islamica que é este conjunto de coisas.Um ayatollah medio estuda 20 a 25 anos para começar a intepretar o alcorão.

6º E se tudo isto não bastasse a sua lida ainda contem erros bizarros ex:

“NÃO FICAR NO MEIO DOS ATEUS(AL 2:147)” amigo o alcorão nunca fala de ateus. Esses que “não creem” do alcorão se refere aos arabes pagãos da epoca que não acreditavam na revelação de maome.

7º Eu estudo o islam a 10 anos e vou te dar uma cancha, vou te corrigir em algo só pra ver o tamanho do absurdo que você fez, você assistiu a um jogo de baiseball sem saber as regras
ex: olha que abusrdo que a sua falta de cultura e conhecimento do alcorão gerou, mais vou te ajudar veja :

“COMO DESTRUIR UMA CIDADE INIMIGA(AL 17:15-17)”

Segundo você o capitulo 17 verso 15 a 17 é uma formula de como destruir uma cidade, será ?

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAH

Meu Deus do céu, amigo vamos ao verso:

” E se pensamos* em destruir uma cidade, primeiramente enviamos* uma ordem aos seus habitantes abastados que estão nela corromperem os nossos* mandamentos; esta (cidade), então, merecerá o castigo; aniquilá-la-emos* completamente. ” [AlCorão 17:16]

Amigo esse “PENSAMOS”, “ENVIAMOS” , “NOSSOS” e “ANIQUILA-EMOS” É DEUS FALANDO NO PLURAL DE MAJESTADE, sim maomé como jesus é a personificação de Deus no mundo(OBS: ELE NÃO É DEUS NEM JESUS NEM NINGUEM PARA A TEOLOGIA ISLAMICA) mais eles trazem a mensagem de Deus, maome no caso ouvia de Deus a mensagem . Deus esta falando no plural de majestade ai no verso o Mesmo ele fala no genesis (“FIZEMOS o homem a nossa imagem e semelhança”) no alcorão QUE É A PALAVRA DE DEUS A MAOMÉ sempre, Deus fala no plural de majestade “NÓS”(recurso linguistico
das linguas semiticas(arabe e hebraico) onde o lucutor exibe posição superior
ao ouviente)

Então a interpretação do verso é :

“E se pensamos* em destruir uma cidade, primeiramente enviamos* uma ordem aos seus habitantes abastados ..”

Deus revela que quando pensa em destruir uma cidade , este destruir a tradução ai ta errada ,mais ta valendo, quando Deus pensa em dar um “fim as cidades”, paises e povos ele antes disto envia naquele local uma ordem, ele inspira pessoas no local para que se evite a destruição . Se estes que recebem a mensagem não a cumprem então Deus deixa a cidade ser destruida e a destroi.

Exemplo vivo: alemanha nazista, Deus vai la e inspira pessoas para eles pararem de criar guerras e de perseguir pessoas, se as pessoas inspiradas fizerem o designo a alemanha teria sido salva, como não foi cumprida a alemanha chegou ao fim. Segundo Deus ai falando no plural de majestade(NÓS) ele esta atento a todas as nações e preocupado com o destino de todos nós.

E ai aprendeu ?

Se quiser aprende sobre o alcorão e o islam e a complexa e dificil teologia islamica, envie email pra mim : kloro.arrad@gmail.com

Fique com Deus

” Quão ouvintes e quão videntes serão, no dia em que comparecerem ante Nós*! Porém, os iníquos estão, hoje, em um evidente erro. ” [AlCorão 19:38]

* Plural de majestade

——

Comentário feito em 24 de Janeiro de 2009 em http://oreinodedeus.wordpress.com/2008/11/11/resumo-do-alcorao/

Virá o estado fascista-muçulmanóide em nome da proteção às crianças e aos adolescentes?

5 janeiro 2009

Montagem sobre figura gerada em um filtro de acessos de uma lan house de Belo Horizonte

Montagem sobre figura gerada em um filtro de acessos de uma lan house de Belo Horizonte

Montagem sobre figura gerada em um filtro de acessos de uma lan house de Belo Horizonte

(Montagens sobre figura gerada em um filtro de acessos de uma lan house de Belo Horizonte)

Fala-se muito em pedofilia hoje em dia. Quanto à pedofilia, sem muito o que comentar: é uma patologia mental e comportamental. Mas o combate à pedofilia pode ter pouco a ver com essa patologia e muito a ver com liberdade. E liberdade de todos.

Parece que alguns pais gostariam de ser a versão século XXI do próprio avô religioso, analfabeto, rude, intolerante e reacionário. Quem quer saber com quem os filhos conversam, e o que eles lêem ou vêem na internet pode ser um pai amigo do filho e digno do nome de pai. Mas geralmente é um reles progenitor dominador. Com a sua vigilância, este pode afastar dos filhos alguns amigos, pessoas de fora do seu subgrupo religioso, materiais cujo conteúdo diverge da sua visão de mundo e, quem sabe, algum pedófilo.

Alguns pais transferem aos filhos sua amargura, seus preconceitos e sua imaturidade (independente da idade). Alguns pais não dedicam aos filhos o tempo e o afeto de que eles precisam. Nesses casos, os filhos serão conquistados por qualquer pessoa que lhes dê algum tanto de atenção, carinho e aceitação, inclusive, embora não exclusivamente, pedófilos e, no caso das meninas adolescentes, os “gaviões” que só querem transar com elas e descartá-las depois.

E a religião não está de fora da “proteção aos menores”. As classificações indicativas e os filtros contra os conteúdos “ofensivos” não são atendimentos a educadores, mas a carolas sexualmente e intelectualmente reprimidos – e que querem os filhos como eles. Não foram psicólogos ou educadores que promoveram um protesto contra a mostra “Erótica – Os Sentidos na Arte”, de Márcia X, com direito a corrente via correio eletrônico e ameaças de encerrar contas no Banco do Brasil, que patrocinava a mostra. Quando um texto cristão fala da internet, é bem provável que a mostre como um ambiente para ver pornografia, adulterar, fazer encontros entre homens cafajestes e mulheres românticas, ler textos hereges e ateus e realizar perversões sexuais. Os religiosos que condenam a internet hoje seriam (ou foram) os que em décadas passadas condenavam a televisão, o cinema e até mesmo a escola.

E os mesmos recursos usados contra os pedófilos e contra a exposição dos menores a conteúdos “impróprios” podem ter usos menos nobres. Censuras a páginas em desacordo com a religião dominante e de oposição ao governo já são feitas em alguns países. Mesmo hoje, um usuário de uma sala de informática pode não conseguir acessar um jornal, como o Observatório da Imprensa (http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br), o Alerta Total (http://alertatotal.blogspot.com) ou o Portugal Diário (http://www.portugaldiario.iol.pt), conforme a idiotice do responsável pela sala, como eu já vi acontecer. Se o Irã invadisse o Brasil, obrigasse os brasileiros a seguir o Islamismo e bloqueasse o acesso a todas as páginas não-islâmicas, os puritanos que louvam os filtros de acessos não iriam gostar. Mas enquanto a censura convém à sua inquisição puritana ou eles estão acovardados demais para pensar em algo além de “segurança”, tudo bem.

Medidas como filtros para internet e programas espiões em nome da proteção dos filhos menores coroam o modelo mais tradicional (e imbecil) de educação: pouca informação e muita proibição. Com isso, pensam os pais, os filhos saberão o que eles querem, terão os princípios que eles querem (os da religião deles), se casarão virgens com quem eles querem, terão os amigos que eles querem e terão a vida que eles querem. E os inimigos da liberdade oferecem, dentro dos seus próprios interesses, algo ao agrado destes “reis do lar” sem autoridade moral.

Walter Nunes Braz Júnior

Contra os Reis e as Religiões – Sistema Paraíso Concreto

Grupo Paraíso Concreto:

http://groups.google.com/group/paraiso-concreto

 

http://www.grupos.com.br/group/semsenhores

 

semsenhores@grupos.com.br

—–

Apêndice 1

O mal que vem da rede

De acordo com pesquisa, 53% das crianças e adolescentes que navegam na internet tiveram contato com conteúdos agressivos ou pornográficos. Cartilha orienta os pais.

Luciane Evans e Glória Tupinambás

As mãos pequenas e curiosas sobre o mouse. Os olhos vidrados nas imagens e desenhos que apareciam na tela do computador. A cada clique, uma descoberta. G. M., aos 6 anos, conheceu, ao lado da mãe, as facilidades e encantos do mundo virtual. Um deles permitiu a conversa com pessoas que nunca tinha visto. Um chat para crianças da mesma faixa etária. Mas o fascínio da menina acabou quando um convite indecente foi enviado por alguém que dizia ter a mesma idade: “Vamos transar?”

Inocência ultrajada é realidade para 53% das crianças e adolescentes que, segundo pesquisa inédita, tiveram contato com conteúdos agressivos na internet. Os dados, divulgados ontem pelo Ministério Público Federal (MPF), fazem parte de um levantamento da organização não-governamental (ONG) SaferNet Brasil. Para identificar as vítimas de agressões de pedófilos e de páginas de pornografia infantil, Minas fechou, na semana passada, convênio inédito no país com a Interpol (agência de polícia internacional).

Enquanto, a cada dia, novos conteúdos são postos na rede, maiores são a disponibilidade e a falta de segurança que o meio virtual causa a internautas menores de idade. De acordo com o estudo da SaferNet Brasil, que ouviu 1,4 mil usuários, 64% dos jovens navegam pela web no próprio quarto, contrariando uma das dicas de prevenção que orienta a família a manter o computador em uma área comum da casa. A pesquisa ainda mostra que 87% dos adolescentes afirmam não ter restrições para o uso. Mas o dado mais preocupante nesse diagnóstico é que 53% dos menores de 18 anos tiveram contato com informações agressivas e sites impróprios para a idade.

“A minha sorte é que estava ao lado da minha filha. Nós duas estávamos conhecendo o site infantil e, quando entramos no chat, que dizia ter internautas da mesma idade que ela, ocorreu o inesperado. Como ela tinha apenas 6 anos na época, não entendeu muito bem o que aquela pergunta indecente queria dizer. E me perguntou o que era transar. Imediatamente, mandei um e-mail para o responsável pela página e ele no comunicou que iria rastrear o usuário”, conta a mãe de G. M., a empresária J. M.

Depois do ocorrido, ela confessa que não teve mais sossego. “Procurei um técnico em informática e pedi que instalasse em meu computador um programa que me permitisse acompanhar a navegação dela na internet”, diz. Hoje, a menina tem 11 anos e é monitorada pela mãe, diariamente. “Há muita gente ruim neste mundo cibernético e, como ela está na pré-adolescência, meu maior medo são os namoros e conversas por mensagens instantâneas.”

O relato de J. M. condiz com uma constatação do estudo da SaferNet: 84% dos pais temem que os filhos sejam vítimas de um adulto mal-intencionado. O técnico em informática Felipe Caldeira está entre os que têm medo de que os filhos tenham contato com conteúdos impróprios que, segundo a pesquisa, representam 74%. Felipe é pai de F., 9 anos, e de C., de 6, e, recentemente, descobriu, ao acessar o histórico do computador, que o menino estava entrando em páginas pornográficas. “Nossa preocupação é que o garoto é ainda muito novo. Conversamos muito com ele e resolvemos pôr senha para entrar no micro. Além disso, mudamos a posição da máquina na casa, permitindo que possamos ver o site que está sendo acessado”, revela.

Frederico não nega: “É muito fácil entrar e achar os sites impróprios”. Segundo ele, basta acessar o Google e pôr a palavra-chave. E Felipe reconhece que bloquear páginas é cada vez mais difícil. Técnico de informática do Colégio Sagrado Coração de Jesus, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, ele confessa que mesmo impedindo palavras como sex e pedofilia, todos os dias são criados novos conteúdos e não é possível bloqueá-los. “A melhor forma é o diálogo com os pequenos, dizendo o que é bom ou ruim no mundo virtual”, aconselha.

Mas as artimanhas das crianças para caçar os sites proibidos funcionam como uma rasteira nos pais, pois 80% delas disseram ser mais habilidosas na internet que o pai ou a mãe, mostra a pesquisa da SaferNet. Por outro lado, o estudo revela que 63% dos pais afirmam não impor regras para os filhos no mundo cibernético.

Para o temor de pais de adolescentes, o levantamento mostra que 90% das denúncias de crimes de internet, registradas pelo MPF, são do site de relacionamento Orkut, da empresa Google Brasil. “O ministério tem um grupo de combate a crime cibernéticos, criado em 2004, que identificou aumento da criminalidade, ano a ano, de quase 100%. Entre as medidas preventivas e repressivas, a mais importante é o acordo firmado com o Google, em julho, para que o provedor dê mais segurança ao usuário”, diz Adriana Scordamaglia, procuradora da República e integrante do Grupo de Combate a Crimes Cibernéticos do MPF. Está marcada para hoje, às 10 h, uma reunião entre o ministério e os representantes da empresa para fazer um balanço da parceria.

CARTILHA Com base no estudo, a SaferNet Brasil lançou, ontem, uma cartilha de orientação para uso seguro da internet. “A pesquisa é o primeiro passo na longa caminhada de conscientização do usuário. Mapeamos como a família brasileira usa o computador, quais as vulnerabilidades e os riscos aos quais estão expostos e o impacto disso na rotina de pais e filhos”, diz o presidente da ONG, Thiago Tavares. Ele acrescenta que vai firmar parceria com o Ministério da Educação e com as secretarias estaduais para que o material informativo chegue às escolas de todo o país. “Também vamos traçar estratégias e iniciativas voltadas para as vítimas, para evitar que o crime ocorra”.

EVANS, Luciane e TUPINAMBÁS, Glória. O mal que vem da rede. Estado de Minas, Belo Horizonte, 10 de outubro de 2008, pág. 23, caderno Gerais

Apêndice 2

Lula culpa mídia por parte dos crimes contra jovens

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva responsabilizou ontem parcialmente os meios de comunicação de massa pela ocorrência de crimes sexuais contra crianças e adolescentes durante o 3º Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, no Rio. Segundo ele, a mídia contribui com sua programação para a degradação da família com a divulgação sem limite de cenas de sexo e violência.

Lula criticou a falta de programação cultural de qualidade dirigida aos públicos infantil e jovem na TV.

De acordo com o presidente, o crescimento do número de menores submetidos a ataques sexuais não é causado apenas pela pobreza que, admitiu, muitas vezes leva a criança a “vender seus corpos por um prato de comida”. “Um outro ingrediente, além do econômico, é o processo de degradação a que está submetida a humanidade, a partir da família, pela qualidade das informações que recebemos pelos meios de comunicações 24 horas por dia”, afirmou o presidente.

“Na hora em que a família entra num processo de degradação que passa pelo econômico, passa pelo social mas passa pelo que ela vê na televisão 24 horas por dia. Quem tem televisão a cabo, sabe do que falo. É sexo e violência de manhã, de tarde e de noite. Quantos programas culturais temos nas televisões para que as crianças possam ver às 7h, às 10h, ao meio-dia, 14h, 18h?” Projeto de lei que torna mais clara a legislação contra material pornográfico contra crianças e adolescentes foi sancionado por Lula. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AGÊNCIA ESTADO. Lula culpa mídia por parte dos crimes contra jovens. Último Segundo, 26 de novembro de 2008. Disponível em <http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/11/26/lula_culpa_midia_por_parte_dos_crimes_contra_jovens_2611638.html>. Acesso em 27 de novembro de 2008

Apêndice 3

Como evitar os perigos da internet

Num distante povoado da Índia, um agricultor verifica o preço da soja em Chicago, EUA, para saber qual a melhor época para vender a safra. No mesmo instante, uma senhora aposentada sorri ao ler um e-mail enviado pelo neto, um viajante verifica a previsão do tempo no lugar para onde se dirige, e uma mãe encontra matéria útil para o dever de casa do filho – tudo pela internet. Com cerca de 600 milhões de pessoas conectadas no mundo todo, a revolução da internet mudou a maneira de o mundo se comunicar e cuidar de negócios.

Quem adotou a internet em especial foi a geração jovem, às vezes chamada de geração cibernética. Cada vez mais os estudantes deixam de usar as bibliotecas para usar a internet como fonte principal de notícias e pesquisas. “Em resumo, esses estudantes estão… quase 100% conectados”, disse Deanna L. Tillisch, diretora de um estudo envolvendo alunos do último ano da faculdade, nos Estados Unidos. Sem dúvida, a internet é uma ferramenta valiosa na sociedade atual.

De modo geral, quanto mais poderosa a ferramenta, mais perigosa ela pode ser. Uma motosserra movida a gasolina pode realizar muito mais que uma serra manual; no entanto, deve ser usada com cuidado. Da mesma forma, a internet é muito útil e poderosa, mas é preciso usá-la com cuidado, visto que também apresenta sérios perigos. A preocupação com esses perigos fez com que mais de 40 nações membros do Conselho da Europa redigissem um tratado internacional, com o objetivo de proteger a sociedade contra cibercrimes.

Por que tanta preocupação? Quais são alguns perigos aos quais os cristãos devem dar especial atenção? Devem eles fazer com que você evite usar a internet? Que orientação a Bíblia fornece?

É preciso cautela

Há séculos, a Bíblia avisou dos perigos apresentados por homens maus, descritos como “mestre[s] de idéias más” e que “maquina[m] fazer o mal” (Provérbios 24: 8) O profeta Jeremias descreveu-os como “homens iníquos”, cujas “casas estão cheias de engano”. Como passarinheiros, eles ‘armam uma armadilha ruinosa’ para capturar homens e ‘se enriquecer’ (Jeremias 5: 26, 27) Hoje em dia, a tecnologia permite que “homens iníquos” usem armadilhas enganosas de novas proporções. Consideremos alguns esquemas que podem ser muito perigosos para os cristãos.

A pornografia na internet é uma indústria que rende 2,5 bilhões de dólares por ano. O número de páginas na internet sobre pornografia aumentou num índice alarmante de quase 1.800% nos últimos cinco anos. Calcula-se que existem atualmente mais de 260 milhões dessas páginas, e o número continua crescendo numa proporção jamais vista. “A pornografia na internet está se tornando tão comum que agora é difícil evitar a exposição indesejada a ela, e isso aumenta a possibilidade de ocorrer o vício do cibersexo”, disse a Dra. Kimberly S. Young, diretora-executiva do Centro para Vícios on-line.

A Bíblia nos diz que “cada um é provado por ser provocado e engodado pelo seu próprio desejo”. (Tiago 1: 14) Para os traficantes da pornografia, qualquer pessoa que tenha um computador é uma vítima em potencial, e eles usam uma variedade de táticas que apelam para o “desejo” da pessoa, ou seja, “o desejo da carne, e o desejo dos olhos”. (1 João 2: 16) A intenção deles é engodar ou, como explica o Vine’s Expository Dictionary of Biblical Words (Dicionário Expositivo de Palavras Bíblicas, de Vine), “atrair com uma isca” usuários ingênuos da internet, a quem eles ‘tentam seduzir’. – Provérbios 1: 10.

Assim como os homens iníquos nos tempos bíblicos, os que promovem a pornografia com freqüência fazem uso de engano. Calcula-se que cerca de 2 bilhões de e-mails pornográficos sejam enviados diariamente, como parte de um esforço agressivo para atrair novos clientes. Muitas vezes, o assunto dos e-mails não solicitados faz com que pareçam inofensivos. No entanto, abrir apenas um deles pode fazer com que apareça uma avalanche de imagens imorais difícil de parar. Os pedidos que você faz para ser removido do catálogo de endereços podem resultar em mais mensagens pornográficas não solicitadas.

O caçador espalha sementes com bastante cuidado. Um passarinho distraído mordisca uma semente saborosa após outra até que vapt!, a armadilha é acionada. De modo similar, a curiosidade leva alguns a beliscar, por assim dizer, imagens sexualmente estimulantes. E os que vêem esperam que ninguém os esteja observando. Alguns voltam a ver essas imagens fortes e excitantes vez após vez, por achá-las estimulantes. Talvez sejam atormentados por sentimentos de vergonha e de culpa, mas, com o tempo, o que antes era chocante se torna corriqueiro. Para os que têm a tendência de ver pornografia, a internet é como um fertilizante que faz com que os desejos se transformem rapidamente em atos pecaminosos. (Tiago 1: 15) Por fim, essas pessoas talvez desenvolvam “um ‘lado sombrio’, cuja essência é a lascívia anti-social, isenta da maioria dos valores”, relata o Dr. Victor Cline, psicólogo clínico que já tratou centenas de pacientes vítimas deste laço.

As salas de bate-papo são perigosas

As salas de bate-papo da internet podem ser ladrões de tempo e cada vez mais estão associadas às crises nos relacionamentos. Decepcionado com a quantidade de tempo que sua esposa gasta com a internet, um homem escreveu: “Ela liga o computador assim que chega do trabalho e só desliga-o cinco ou seis horas depois. Isso está afetando nosso casamento.” Sim, gastar tempo com a internet é gastar tempo longe do cônjuge e da família.

Angela Sibson, executiva-chefe da Relate, serviço de aconselhamento matrimonial, diz que a internet “é uma porta de acesso para novos relacionamentos que podem ser muito fortes e destruir relacionamentos já existentes”. O que talvez comece com uma conversa amigável on-line numa sala de bate-papo pode rapidamente se transformar em algo mais sério. Com a intenção de envolver-se em relações imorais, os ‘ardilosos de coração’ usam a “maciez da língua” para dizer as vítimas em potencial o que elas desejam ouvir. (Provérbios 6: 24; 7: 10) Nicola, uma vítima de 26 anos que mora no Reino Unido, explica: “Ele me fazia muitas declarações de amor. Dizia o tempo todo como eu era maravilhosa, e eu me deixei levar.” O Dr. Al Cooper, editor do manual Sex and the Internet: A Guidebook for Clinicians (O Sexo e a Internet: Manual para os Clínicos), diz que precisamos “alertar as pessoas a respeito desse terreno escorregadio, que começa com o flerte on-line e muitas vezes acaba em divórcio”.

As crianças são ainda mais vulneráveis à exploração e ao prejuízo causados por “maníacos sexuais do computador”. Por usar de “perversão da fala” e de “sinuosidade dos lábios”, os pedófilos visam as crianças, que são inexperientes. (Provérbios 4: 24; 7: 7) Usando uma prática conhecida como grooming (preparação), eles cobrem a criança de atenção, afeição e bondade, fazendo-a se sentir especial. Parecem estar a par de tudo que a criança gosta, incluindo seus passatempos e músicas favoritos. Fazem com que pequenos problemas em casa pareçam maiores, com o objetivo de criar uma barreira entre a criança e a família. A fim de realizar seus desejos maldosos, os predadores talvez até mesmo enviem para a vítima uma passagem para ela viajar de uma ponta a outra do país. Os resultados são assustadores.

Os princípios bíblicos servem de proteção

Depois de analisar os perigos, alguns concluíram que é melhor evitar por completo o uso da internet. No entanto, é preciso reconhecer que somente uma pequena porcentagem dos sites na internet apresenta perigos, e que a maioria dos usuários não têm problemas graves nesse respeito.

Felizmente, as Escrituras fornecem orientação para nos “resguardar” do perigo. Somos incentivados a adquirir conhecimento, sabedoria e raciocínio. Essas qualidades nos ‘guardarão, para livrar-nos do mau caminho’. (Provérbios 2: 10 – 12) “Mas a própria sabedoria – donde vem?”, perguntou Jó, antigo servo de Deus. Qual foi a resposta? “O temor de Jeová – isso é sabedoria.” – Jó 28: 20, 28.

“O temor de Jeová”, que “significa odiar o mal”, é a base para se desenvolver qualidades divinas (Provérbios 1: 7; 8: 13; 9: 10) O amor e a reverência a Deus, junto com o respeito salutar por seu poder e autoridade, nos motivam a odiar o mal e evitar as coisas que ele odeia. O raciocínio claro, além do conhecimento dos princípios de Deus, ajuda-nos a reconhecer os perigos que podem corromper a mente, o coração e a espiritualidade. Passamos a abominar atitudes gananciosas e egoístas que podem prejudicar nossa família e destruir o relacionamento com Deus.

Portanto, se você é usuário da internet, fique atento aos riscos. Esteja decidido a guardar os mandamentos de Deus e evite brincar com o perigo. (1 Crônicas 28: 7) Assim, ao se confrontar com os perigos relacionados ao uso da internet, você sabiamente fugirá deles. – 1 Coríntios 6: 18.

Fique longe da pornografia

“A fornicação e a impureza de toda sorte, ou a ganância, não sejam nem mesmo mencionadas entre vós, assim como é próprio dum povo santo.” – Efésios 5: 3.

“Amortecei, portanto, os membros do vosso corpo que estão na terra, com respeito a fornicação, impureza, apetite sexual, desejo nocivo e cobiça.” – Colossenses 3: 5.

“Isto é o que Deus quer, a vossa santificação, que vos abstenhais de fornicação; que cada um de vós saiba obter posse do seu próprio vaso em santificação e honra, não em cobiçoso apetite sexual, tal como também têm as nações que não conhecem a Deus.” – 1 Tessalonicenses 4: 3 – 5.

Cuidado com as salas de bate-papo da internet!

Uma detetive, especialista em crimes pela internet convidou um redator da Despertai! para ver como as salas de bate-papo são perigosas. Fingindo ser uma jovem de 14 anos, ela entrou numa sala de bate-papo e, em questão de segundos, várias pessoas entraram em contato com ela. Pessoas desconhecidas fizeram perguntas como: “Onde você mora?” “Você é menino ou menina?” “Será que podemos conversar?” Muitos dos que responderam eram supostos predadores sexuais que estavam sendo investigados pela polícia. Isso mostra como é fácil para um pedófilo entrar na sala de bate-papo à qual seu filho está conectado.

Alguns pais acham que é seguro deixar os filhos entrar nas salas de bate-papo porque, enquanto a conversa se desenvolve, todos os conectados estão a par do assunto em consideração. No entanto, uma vez que a pessoa entra numa sala de bate-papo, pode ser convidada para uma conversa a dois. Referindo-se a essa prática, às vezes chamada de cochicho, a Força-Tarefa da Internet para Proteção Infantil, do Reino Unido, acautela: “Isso é como sair de uma festa onde há muitas pessoas e ir para uma sala particular, a fim de ter uma conversa à parte com um desconhecido”.

Os pais também precisam ter em mente que a maioria dos pedófilos quer mais do que simplesmente conversar com a criança. O Fórum para Crimes na Internet preparou um documento que diz: “É bem provável que os contatos que começam nas salas de bate-papo continuem por outros meios de comunicação, tais como e-mail, telefone ou telefone celular”. Um relatório do Departamento Federal de Investigações, dos EUA, declara: “Ao passo que conversar com uma vítima infantil on-line é excitante para um maníaco sexual, pode ser também muito embaraçoso. A maioria prefere conversar com as crianças ao telefone. Muitas vezes se envolvem em sexo por telefone com elas e não raro tentam marcar um encontro para praticarem sexo de verdade”.

Para conseguir isso, os maníacos sexuais dão para a criança seu número de telefone. Caso ela ligue, um identificador de chamada revela o número do telefone que ela está usando. Outros predadores sexuais fornecem números para ligação gratuita e alguns até mesmo dizem que elas podem ligar a cobrar. Alguns chegam a enviar um telefone celular para a criança. Pode ser que os maníacos também enviem cartas, fotografias e presentes.

As crianças não são as únicas vítimas dos perigos das salas de bate-papo. Há pouco tempo, certa homem no Reino Unido, usando de conversa suave e dizendo às mulheres o que elas queriam ouvir, fez com que seis delas se apaixonassem por ele ao mesmo tempo. Uma das vítimas, Cheryl, atraente estudante de pós-graduação, de 27 anos de idade, disse: “Simplesmente não sei como explicar. Aquilo foi ficando tão forte que logo me envolvi.”

“As mulheres gostam do ciberespaço porque não são julgadas pela aparência”, diz Jenny Madden, fundadora de As Mulheres no Ciberespaço. “Mas elas também são muito suscetíveis à manipulação, porque, especialmente nas salas de bate-papo, existe a tendência de ir logo revelando muita coisa a respeito de si próprio.”

É só ligar o computador e eu tenho milhares de mulheres para escolher”, disse certo homem, interrogado para um estudo da Universidade da Flórida, dirigido por Beatriz Ávila Mileham. Ela declarou: “A internet logo será a forma mais comum de infidelidade, se já não for.” “Terapeutas em todo o país relatam que a atividade sexual on-line é a causa principal de problemas no casamento”, disse o Dr. Al Cooper, editor do livro Sex and the Internet: A Guidebook for Clinicians (O Sexo e a Internet: Manual para os Clínicos).

Em vista desses fatos que merecem atenção, convém tomar medidas razoáveis quanto ao uso da internet. Converse com seus filhos e ensine-os como se proteger dos perigos. Se você estiver bem inteirado dos fatos, poderá evitar os perigos da internet. – Eclesiastes 7: 12.

COMO evitar os perigos da internet. Despertai!, Associação Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, 08 de dezembro de 2004, pág. 18 – 21.

Apêndice 4

Centro Cultural no Rio expõe órgão sexual feito com Terços!

From: Banco do Brasil promove blasfemia: <respondervialinks@yahoo.com>

Date: 05/04/2006 17:38

Subject: Centro Cultural no Rio expõe órgão sexual feito com Terços!

To: BancoDoBrasilPromoveBlasfemia@mail

Nas vésperas da Semana Santa, Banco do Brasil promove blasfêmia:

Centro Cultural, no Rio, expõe órgão sexual feito com Terços!

Boa tarde, amigos!

1)

O Centro Cultural Banco do Brasil, do Rio de Janeiro, situado em frente à Igreja da Candelária, no centro histórico, está patrocinando a exposição “Erótica – Os sentidos da Arte”, com dinheiro público e de incontáveis cidadãos.

Infelizmente, é uma exposição imoral freqüentada livremente por menores de idade, inclusive por colegiais levados em excursões.

2)

Pior ainda. É uma exposição com conteúdo blasfemo, como a obra “Desenhando com Terços”, que usa esse milenar instrumento de oração dos católicos para desenhar um órgão sexual misturado com a cruz.

3)

A referida exposição patrocinada pelo Banco do Brasil é uma ofensa aos milhões de católicos de todo o país. Ainda assim, seus organizadores anunciaram que sua realização irá se prolongar; durante a Semana Santa inclusive.

Sinceramente, fiquei espantado e indignado!

4)

Apesar da gravidade do fato, que me conste, nenhum meio de comunicação fez referência ao conteúdo blasfemo dessa exposição. Por isso, tomei a iniciativa de enviar-lhe este e-mail.

Também estou enviando esta informação às autoridades religiosas do Rio de Janeiro e do Brasil inteiro, às autoridades civis, federais e estaduais, aos meios de comunicação e às autoridades do Banco do Brasil.

5)

Até quando continuará essa ofensa gratuita à fé cristã da grande maioria dos brasileiros?

Infelizmente, este fato não é isolado e, quem sabe, faz parte de uma onda de blasfêmias anticristãs que percorre o mundo, incluindo o livro “O Código da Vinci”.

6)

Estão, a seguir, o telefone e o e-mail do curador do Centro Cultural do Banco do Brasil, Sr. Tadeu Chiarelli, os links do site do Banco do Brasil nos quais aqueles que desejarem poderão deixar seu protesto; e o link para o site Blasfêmia Não! Por favor, se você também está indignado e cansado do silêncio diante da ridicularização pública da fé católica, reenvie esta mensagem a seus amigos e familiares, e cobre das autoridades religiosas e civis medidas para fazer cessar esta ofensa gratuita.


7)

Muito obrigado, e que a Providência o recompense pelo seu interesse nesta iniciativa em prol do Brasil.

Atenciosamente,

Sérgio Luiz Ferreira Passos, estudante

Sergio:ConcordoComVoce Sergio:DiscordoDeVoceSergio:MinhaMensagem

Instituto de Psicologia

Centro de Filosofia e Ciências Humanas

Universidade Federal do Rio de Janeiro

LINKS DE PARTICIPAÇÃO E OPINIÃO:

a) Para enviar directamente e-mail de reclamação ou sugestão ao Centro Cultural do Banco do Brasil no Rio, clique em:

BancoDoBrasil:MeuProtestoPelaBlasfemia

b) Para escrever mensagem de reclamação ou sugestão à Ouvidoria do Banco do Brasil, no site do Banco, clique no seguinte link:

https://www16.bancodobrasil.com.br/appbb/portal/fs/rsp/ouvidoria/index.jsp?site=ouvidoria&tipo=02

c) Telefone gratuito da Ouvidoria do Banco do Brasil: 0800 729-5678

d) Telefone do Curador do Centro Cultural do Banco do Brasil no Rio, Sr. Tadeu Chiarelli: (21) 3808-2020

Endereço do Centro Cultural do BB: Rua Primeiro de Março 66. Centro

e) Link do Blog Blasfêmia Não!

http://blasfemianao.tripod.com/blog/

Sergio:FavorRetirarMeuEmail

21abr06_marciax_2

BANCO do Brasil promove blasfemia. Centro Cultural no Rio expõe órgão sexual feito com Terços!. Citado por: IMACULADA VIRGÍNIA. Corrente de beatos contra uma exposição de arte em 2006. Mensagem recebida por O Reino de Deus (oreinodedeus@grupos.com.br) em 04 de janeiro de 2009. A foto foi enviada nesta última.

Apêndice 5

Do mensalão à censura

“Está óbvio que o Banco do Brasil aceitou decretar a censura sobre um trabalho artístico movido por pressões de religiosos obscurantistas”

A cúpula do Banco do Brasil foi investigada na CPI sob a acusação de aliar-se aos corruptos do mensalão. Não é surpresa que tenha agora se aliado aos católicos medievais para censurar obras de arte. É o que acaba de acontecer. A direção do Banco do Brasil cancelou uma exposição de arte que seria aberta em Brasília no dia 15 de maio, sob o patrocínio do centro cultural do BB. A mostra, chamada Erotica – Os Sentidos na Arte, trazia uma obra da artista plástica Marcia X, falecida no ano passado, na qual se entrecruzam dois pênis desenhados com as contas de um rosário. O trabalho é singelo, não tem nada de obsceno ou pornográfico. Mas um grupo de católicos, um tal de Opus Christi, ficou indignado com o desenho e exigiu que fosse excluído do elenco de obras quando a exposição estava em cartaz no Rio de Janeiro. Os adeptos do Opus Christi, diz a direção do Banco do Brasil, mandaram 800 e-mails à instituição financeira protestando contra o trabalho de Marcia X e ameaçando organizar um boicote ao banco, fechando contas-correntes.

A direção do BB cedeu às pressões. Retirou a obra de Marcia X da exposição no Rio e cancelou sua passagem por Brasília. Na nota em que explica sua decisão, a cúpula do BB faz questão de ratificar seu “sólido apoio à difusão da arte e da cultura, sempre com respeito à pluralidade e à diversidade”. Como assim? Está óbvio que o Banco do Brasil aceitou decretar a censura a um trabalho artístico movido por pressões de religiosos obscurantistas. Erotica – Os Sentidos na Arte passou por São Paulo (56.000 visitantes) e pelo Rio (90.000) e só deixou de fazer escala em Brasília por pressão do Opus Christi. É isso que o Banco do Brasil chama de “respeito à pluralidade e à diversidade”? Isso se chama censura, e ponto. E a censura costuma se assentar justamente em critérios políticos ou morais. Querendo livrar-se da pecha de censores, os dirigentes do banco deram a entender que a decisão não foi nem política nem moral, mas comercial. Ficaram com receio dos efeitos comerciais do boicote dos católicos. Como assim? Agora 800 carolas botam medo num banco que tem 22 milhões de contas-correntes?

Os católicos do Opus Christi são livres para se sentir insultados pelo uso de um elemento religioso para desenhar o perfil da genitália masculina – tanto quanto muçulmanos podem não gostar de charges dinamarquesas. O inadmissível é que a direção do Banco do Brasil faça uma escandalosa genuflexão diante de uma pressão sob todos os aspectos ilegítima e inconstitucional. É óbvio que os católicos que se sentiram incomodados com a obra de Marcia X poderiam tomar uma providência simples: não comparecer à exposição. Poderiam até mandar e-mails para a direção do Banco do Brasil. Poderiam até fazer um boicote, convocando os fiéis a fechar suas contas-correntes. A direção do BB é que não tem o direito – nem mesmo legal – de ceder a esse tipo de medievalismo e censurar uma obra de arte. Levantar a voz contra essa arbitrariedade é imperioso. Mas, para quem acha que desviar dinheiro público para fazer o mensalão pode ser um projeto de poder, vendar os olhos de uma sociedade não deve ser problema algum.

PETRY, André. Do mensalão à censura. Veja, 10 de maio de 2006. Disponível em <http://veja.abril.com.br/100506/andre_petry.html>. Acesso em 04 de janeiro de 2009

Apêndice 6

Veto a fotos de amamentação no Facebook causa protestos

Por Belinda Goldsmith

CANBERRA (Reuters) – Fotos de uma mãe amamentando seu bebê podem ser consideradas indecentes?

O site de redes sociais Facebook deflagrou um imenso debate online -e protestos- depois de remover fotos que expunham em demasia o seio de uma mãe.

Barry Schnitt, porta-voz do Facebook, disse que o site em geral não age com relação a fotos de amamentação quando elas respeitam seus termos de uso, mas informou que algumas são removidas para garantir que o site seja mantido seguro para todos os usuários, incluindo crianças.

“Fotos que contenham um seio completamente exposto (ou seja, envolvam exibição de mamilo) constituem violações desses termos (quanto a material obsceno, pornográfico ou sexualmente explícito) e podem ser removidas”, informou em comunicado.

“As fotos com relação às quais agimos são trazidas à nossa atenção quase exclusivamente por reclamações de outros usuários”, o comunicado acrescentou.

Mas a decisão do Facebook de remover algumas fotos de amamentação enraiveceu alguns usuários, entre os quais a norte-americana Kelli Roman, mãe que teve uma foto que a mostrava alimentando a filha removida pelo Facebook.

Roman é uma das administradoras de uma petição online intitulada “ei, Facebook, amamentação materna não é obscenidade”, que ganhou força na semana passada depois que as manifestantes organizaram uma “amamentação de protesto” no Facebook e realizaram uma pequena manifestação diante da sede da empresa, em Palo Alto, Califórnia.

A petição já obteve mais de 80 mil assinaturas e mais de 10 mil comentários, e redespertou um velho debate sobre os prós e contras da amamentação em locais públicos.

Os organizadores da petição informaram que algumas mulheres foram instruídas a não postar de novo as fotos removidas de suas páginas ou correriam o risco de ser excluídas do Facebook.

O Facebook, que tem 120 milhões de assinantes, não pretende recuar quanto às suas normas.

Schnitt disse que a empresa tentou colocar um anúncio em diversas publicações norte-americanas que mostrava uma mulher com o seio completamente exposto amamentando um bebê. Nenhuma delas aceitou.

“Um jornal e o Facebook são obviamente diferentes, mas o motivo subjacente para as normas de conteúdo é o mesmo”, disse à Reuters.

GOLDSMITH, Belinda. Veto a fotos de amamentação no Facebook causa protestos. Yahoo! Brasil Notícias, 30 de dezembro de 2008. Disponível em <http://br.noticias.yahoo.com/s/reuters/081230/entretenimento/cultura_comportamento_facebook_amamenta>. Acesso em 30 de dezembro de 2008.

Apêndice 7

A outra Muralha da China

País monta um superprojeto para censurar a internet.

TEXTO BRUNO GARATTONI

Os chineses gastaram uma fortuna para fazer da Olimpíada de Pequim a mais moderna de todos os tempos. Mas, além de estádios futuristas e infra-estrutura de primeira, os 500 mil atletas, jornalistas e turistas esperados para o evento vão encontrar outra surpresa: uma internet horrível, em que os sites falham ou demoram para abrir e a conexão cai sem motivo aparente. Tudo por causa do Projeto Jin Dun (“escudo de ouro”, em chinês), uma verdadeira muralha digital erguida para censurar a internet dentro do país. O sistema, que custou incríveis US$ 29 bilhões, tem 640 mil computadores e um exército de 30 mil funcionários – o dobro da CIA, a superagência de espionagem americana. O Google, o YouTube, a Wikipedia… tudo isso é censurado, e os sites chineses também. Quando um chinês entra no Google e digita “praça Tiananmen”, por exemplo, não recebe os mesmos resultados que você – a rede chinesa elimina as menções ao massacre de estudantes que ocorreu lá. Mas como é possível controlar a internet se ela foi, justamente, criada para ser descentralizada e imune a possíveis obstáculos? “Os chineses colocam filtros nos pontos de entrada e saída, que conectam sua rede à de outros países”, diz Richard Clayton, pesquisador da Universidade de Cambridge. Apenas 17 cabos são responsáveis por todas as conexões da China, o país onde mais há internautas (220 milhões), com o resto do mundo. Aí, fica fácil censurar. E é por isso que, mesmo com uma rede super-rápida (326 gigabits por segundo, 15 vezes mais que a internet brasileira), o dragão se arrasta. “Nos momentos em que o país passa por turbulências políticas, como protestos no Tibete, a rede fica mais lenta. Com certeza, é por questões de segurança [censura]”, diz o jornalista Gilberto Scofield Jr., que mora na China há 4 anos e teve seu blog vetado pela muralha digital.

BANDA ESTREITA

Trinta mil fiscais, armados com 640 mil computadores, controlam tudo o que passa pela rede. Veja as barreiras que é preciso enfrentar para acessar um site ocidental, como o YouTube

LISTA NEGRA

Os provedores de internet têm uma relação com o nome dos sites proibidos pelo governo. Se o internauta digitar o endereço de algum deles (blogger.com, por exemplo), eles bloqueiam. Não aparece nenhuma mensagem específica; fica parecendo que foi um inocente problema técnico. A lista é alterada várias vezes por ano – e não é divulgada ao público.

PALAVRAS-CHAVE

Como a lista negra não consegue acompanhar o crescimento da internet (todo dia surgem milhares de novos sites), os chineses inventaram um sistema mais inteligente. Uma rede de computadores espiões analisa, em tempo real, todos os dados que entram e saem do país. Se detectar um de 500 termos proibidos, como “Tibete”, bloqueia a página no ato.

SITES MUTILADOS

Para agradar aos ocidentais que vão visitar a China na Olimpíada, o governo liberou alguns sites que eram proibidos. Mas está manipulando o conteúdo deles. Um software espião intercepta todos os textos ou vídeos considerados “subversivos” – e apaga essas informações antes que elas cheguem à tela do internauta.

CRIME E CASTIGO

O governo dá uma punição às pessoas que insistem em acessar conteúdo proibido: corta totalmente a internet delas (durante um período determinado, que começa com dois minutos e vai subindo conforme a reincidência no delito). Não dá para acessar nenhum site, nem mesmo as páginas “legalizadas”. Quem continuar tentando pode receber uma visita da polícia.

JEITINHO CHINÊS

Há uma brecha nisso tudo. As Virtual Private Networks (VPNs), redes particulares usadas por empresas ocidentais – que não sofrem censura nem espionagem. O chinês pode se conectar a amigos de outros países e montar uma VPN pirata. Mas isso não é fácil de fazer. “A maioria das pessoas não usa VPNs. Se usasse, o governo já teria feito algo a respeito”, diz Richard Clayton, da Universidade de Cambridge

Veja um simulador da internet chinesa

WEB PROIBIDONA

Outros lugares onde é difícil navegar.

CUBA

Só existe um provedor de acesso – o governo, que bloqueia sites estrangeiros. Até maio, era proibido ter computador em casa.

EGITO

Não censura a rede, mas persegue quem escrever contra o governo – um estudante pegou 4 anos de cadeia por isso.

IRÃ

Já prendeu mais de 20 blogueiros e se orgulha de barrar 10 milhões de sites “imorais” (que têm sexo, política ou religião).

SUÉCIA

A internet é grampeada pelo governo – supostamente, para combater sites de pedofilia, racismo e downloads piratas.

CORÉIA DO NORTE

Até o começo do ano, era proibido ter celular (quem fosse pego com um era condenado à morte). Internet, então…

ARÁBIA SAUDITA

O governo afirma bloquear 400 mil páginas – de sites estrangeiros a blogs escritos por mulheres árabes.

BLOGUEIROS? CADEIA NELES!

Nunca se prendeu tanta gente por causa da internet: segundo um levantamento da Universidade de Washington, no ano passado triplicaram as prisões de blogueiros. Nesse esporte, a China é medalha de ouro: somente lá, 48 pessoas estão presas pelo “crime” de manifestar suas opiniões na rede.

O mais novo detento é Huang Qi, que publicou alguns textos acusando o governo de ter vacilado na ajuda às vítimas dos terremotos que o país sofreu em maio. “Quanto mais você mexe com a imagem da China, maior o risco. Eles [os espiões chineses] têm sofisticação técnica e conseguem identificar os blogueiros”, diz Clothilde Le Coz, da ong francesa Repórteres sem Fronteiras – que publica anualmente um relatório mostrando quais são os países que mais reprimem a internet.

GARATTONI, Bruno. A outra Muralha da China. Superinteressante, ed. Abril, nº 255, agosto de 2008. Disponível em <http://super.abril.com.br/revista/255/materia_revista_290808.shtml?pagina=1>. Acesso em 22 de dezembro de 2008

Apêndice 8

A obrigação é dos pais

Por Gislene Machado Tamassia Santos

A discussão sobre a influência que a enxurrada de violência e a exploração exagerada do sexo na televisão exercem sobre as nossas crianças tem uma outra faceta, que está sendo convenientemente esquecida pelos pais. Será que não estamos sendo cúmplices dessa situação na medida em que deblateramos contra as emissoras de TV ou pedimos providências do governo em vez de mudarmos o nosso comportamento? Estamos transferindo para a televisão a tarefa de educar nossos filhos. Ela é a babá e a preceptora que elegemos para conduzi-los pela vida afora. É muito fácil criticar a televisão, já que a programação está realmente apelativa e decadente. O apelo fácil ao consumo é a tônica. Os homens que fazem televisão no Brasil estão agindo irresponsavelmente, matando valores éticos como a honestidade, a honradez, a vitória pelo empenho e pelo trabalho e exaltando a esperteza, a vigarice, o ócio, os baixos instintos e o comportamento fútil. A televisão deveria ter cuidado com os valores que exalta diante das crianças. Ela tem a obrigação de educar também. Isso é um fato. Mas quem é que se lembra da responsabilidade que os pais têm de educar? É evidente que a televisão nunca será uma alternativa válida para os pais na hora de educar os filhos. Por melhor que seja a intenção dos homens de televisão (o que de maneira alguma ocorre no Brasil), eles nunca conseguirão fazer desse veículo uma unanimidade em termos educativos e culturais – cada casal tem uma visão diferente de como criar seus filhos.

Os que condenam a televisão querem que as coisas mudem, mas mudem pela ação dos outros, por decisão das emissoras de TV, por uma intervenção do governo federal ou através de uma lei de censura rigorosa. Eu vivi, dentro da universidade, o fantasma da repressão dos anos 70 e lutei pela dignidade do ser humano e pela democracia. É triste assistir, agora, a tanta degradação de um lado e ao pedido da volta da censura de outro. Quem disse que o Estado ou os legisladores saberão o que é melhor para os nossos filhos? Será que queremos que os critérios do que deve chegar até eles em termos de informação e entretenimento seja ditado de cima para baixo?

Enquanto criticamos a programação da televisão, o aparelho permanece ligado e nossos filhos diante dele. Um alívio, já que vivemos numa época em que existe essa criada eletrônica que não reclama de salário, dorme no emprego e se mostra tão eficiente. Chegamos em casa do trabalho e nossos filhos já estão diante da televisão. Só param para fazer a tarefa escolar, quando param. Nos justificamos dizendo que estamos cansados e que não podemos ficar dando muita atenção a eles. Nossa atitude, propondo alternativas aos nossos filhos, pode levá-los a desligar o aparelho. Quando a programação não está apresentando alguma coisa que preste, podemos convidá-los para uma outra forma de lazer. Quantas vezes levamos nossos filhos ao teatro ou ao cinema? Se o tempo é curto, se estamos cansados ou se o dinheiro está escasso, podemos parar para ler um livro junto com eles ou ir visitar um parente ou amigo. Existem dezenas de jogos que propiciam horas de distração e ajudam no conhecimento geral das crianças. Por que não parar um pouco e chamá-los para um simples bate-papo? Quem sabe resgatar o velho hábito de contar histórias.

Sou mãe de quatro filhos, trabalho como professora e ainda sou secretária de uma empresa de produções didáticas e pedagógicas. Não sou exatamente uma pessoa com tempo de sobra. Mas não deixo a televisão hipnotizar minhas crianças. Lá em casa a gente lê muito. Eu passo bastante leitura para eles e depois discutimos junto. Desde livros até artigos publicados em jornais e revistas. Lemos juntos e depois cada um dá a sua opinião a respeito. Mas não é só isso. O tempo que a maioria das crianças passa diante da TV meus filhos brincam de roda, cuidam dos animais – é responsabilidade deles – e praticamos a culinária. E vemos televisão também. Se assistirmos junto com eles e discutirmos abertamente, teremos a possibilidade de auxiliá-los a desenvolver um senso crítico. É verdade que nem sempre estamos dispostos e muitas vezes queremos descansar ou nos divertir sozinhos, sem os filhos. Mas isso não significa abdicar do nosso papel. Há ainda o fato inegável de que a televisão não vai mudar por conta própria enquanto os índices de audiência estiverem bons. E uma mudança de comportamento da nossa parte pode ser muito eficiente enquanto pressão sobre as emissoras, já que mexe no ponto onde elas são mais sensíveis – os índices de audiência.

Se os pais não cumprirem o seu papel, não será a televisão que preencherá esse espaço com a devida competência. E o que resultar como seqüela dessa dose industrial diária de violência, sexo e comportamento leviano que a televisão injeta nos corações e mentes de nossas crianças será a conseqüência direta do nosso conformismo, da nossa omissão e da nossa irresponsabilidade. Mudar esse estado de coisas é nossa obrigação. Qualquer outra alternativa que envolva a ação repressora do Estado ou uma legislação cerceadora da liberdade funcionará como despir um santo para vestir o outro. Nos veremos livres de um mal e poderemos estar nos atirando nos braços de outro ainda maior.

Gislene Machado Tamassia Santos, 34 anos, é professora e dona de casa em São Paulo

SANTOS, Gislene Machado Tamassia. A obrigação é dos pais. Veja, ed. Abril, 05 de setembro de 1990, pág. 126, seção Ponto de Vista.

Ser moderno é pular carnaval e receber as cinzas na terça

7 fevereiro 2008

Vila Isabel

Imagem do desfile da escola Vila Isabel, Rio de Janeiro. Disponível em <http://g1.globo.com/Carnaval2008/0,,MUL286955-9772,00-CARRO+COM+MIL+LITROS+DAGUA+ABRE+DESFILE+DA+VILA+ISABEL.html>.

Rosas de Ouro

Imagem do desfile da escola Rosas de Ouro, São Paulo. Disponível em <http://g1.globo.com/Carnaval2008/0,,MUL284439-9772,00-ROSAS+DE+OURO+ENCERRA+DESFILE+COM+EMPOLGACAO.html>.

Camisa Verde e Branco

Imagem do desfile da escola Camisa Verde e Branco, São Paulo. Disponível em <http://g1.globo.com/Carnaval2008/0,,MUL285207-9772,00-DESFILE+DE+CAMISA+TEM+MULHER+PUXADA+PELOS+CABELOS+E+CARRO+AEREO.html>.

Viviane Castro

Modelo Viviane Castro. Imagem do desfile da escola São Clemente, Rio de Janeiro. Disponível em <http://oglobo.globo.com/carnaval2008/rio/mat/2008/02/03/viviane_castro_candidatissima_peladona_do_carnaval_2008-425462090.asp>.

=========================

“Você é tão moderno, / se acha tão moderno, / mas é igual a seus pais. / É só questão de idade, / passando dessa fase / tanto fez e tanto faz.” (Legião Urbana)

Você deve ter visto algumas mulheres desfilando no Carnaval seminuas, em alguns casos copm os seios nus ou tapa-sexo. Enquanto alguns homens imaginam uma dessas mulheres fazendo coisas “do arco da velha” em termos de sexo, eu a imagino recebendo as cinzas na quarta-feira. E digo sem medo de errar que essa minha imaginação está mais próxima da realidade no caso médio.

Você sabe quando é o Carnaval? Primeiro, encontramos o domingo da Páscoa, que é o primeiro domingo de lua cheia do nosso outono (ou da primavera do hemisfério norte). A terça-feira do Carnaval é 47 dias antes. Depois da terça-feira do Carnaval, a Quarta-feira de Cinzas. A Quarta-feira de Cinzas começa a Quaresma. Os 40 dias da Quaresma acabam no domingo anterior ao domingo da Páscoa. Aí começa a Semana Santa, com a Sexta-feira da Paixão e o Sábado de Aleluia. Logo, o Carnaval, que alguns dizem ser a festa da carne, é agendado a reboque de feriados católicos. Logo, o Carnaval, aliás menos “carnal” que alguns pensam, é, em última análise, uma celebração da Igreja Católica. E alguns foliões achando que estão curtindo a vida.

E, nisso, há cristãos devotos clamando contra o Carnaval, que dizem ser uma ocasião de carnalidade e licenciosidade. De vez em quando, eles também condenam a modernidade: os ataques ao Cristianismo na televisão, em especial à sua moral anti-sexual; a pornografia na internet, importando menos a pedofilia do que a exibição do sexo como algo mais agradável que um dever conjugal; páginas da internet que não se enquadram nos modos de vida e pensamento cristãos; os perigos dos bate-papos e dos portais de relacionamentos, importando menos possíveis crimes do que o risco do contato com ateus ou pessoas do sexo oposto mais interessantes que o cônjuge ou companheiro. A luxúria do Carnaval vai pouco além daquelas mulheres seminuas e a maior atividade sexual já foi provada por pesquisa que é um mito1. E o que dizer de uma comunidade para a qual “moderno” é um termo depreciativo? A parte científica e tecnológica eles aceitam (a maior parte); a parte humanista os deixa indignados.

Mas, pensando bem, o que é ser moderno?

Ser moderno é algo como ser de um arraial do Brasil Colônia com a tecnologia de hoje: é mandar uma mensagem de conteúdo religioso para todos os endereços da lista de correio eletrônico; é usar o bate-papo, o portal de relacionamentos, o telefone celular ou uma outra inovação como um canal para conversas pobres, com conhecidos ou desconhecidos, ou para “ficar” com uma “mina” ou encontrar um marido; é fazer uma Inquisição pessoal vasculhando o histórico da internet no computador de casa.

Ser moderno também é duplipensar (do romance “1984″, de George Orwell: ter em mente duas idéias contraditórias e aceitar ambas): é ter segundo grau científico e acreditar em Astrologia; é ser formado em História e ser católico; é acreditar no “Jesus histórico”, sendo que Jesus não existe nos documentos históricos e os evangelhos, canônicos e apócrifos, têm vários erros; é ter sensualidade, num desfile de carnaval ou no cotidiano, e ser uma “mulher de família”.

Ser uma mulher moderna é sair com uma roupa provocante, ou mesmo com os seios nus, e reagir a um homem que olha como o pai puritano de si própria; transar com ele se ele vale a pena, ou mesmo reagir amigavelmente, é ser uma “qualquer” que não se valoriza. Ser uma mulher moderna é exibir em roupas provocantes o corpo fruto da Natureza, da dieta ou da cirurgia plástica; ser mais que um corpo (o que é diferente de detestar sexo) é ser “feminista” (que também se tornou pejorativo, na visão de muitos). Ser moderno é estar ajuntado; ficar solteiro é ser um “galinha” ou uma “encalhada” e casamento aberto é algo escandaloso. Ser moderno é ter a religião dos trisavós ou alguma outra parecida; ateu “não acredita em nada”. Ser moderno é ser despolitizado e mal informado; ver bons programas e acessar boas páginas na internet deixa “por fora” do assunto de uma conversa comum. Eu poderia dar outros exemplos, e acredito que você também. Ser moderno, na verdade, tem sido acompanhar a modernidade da eletrônica, da moda, dos modismos, desde os adereços até as escolas de pensamento, mas não os últimos progressos humanistas e de mentalidades.

Walter Nunes Braz Júnior

Quarta-feira de Cinzas (06 de fevereiro) de 2008

1 “Pesquisa feita pela Universidade Federal Fluminense (UFF) com base nos registros de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) no setor de atendimento gratuito da instituição põe em xeque a relação entre sexo e carnaval e questiona a estratégia do Ministério da Saúde a respeito de campanhas educativas durante a folia. De acordo com o trabalho, não há aumento de casos de DSTs no período posterior à festa – o que mostraria que a folia não influencia o comportamento das pessoas. Também não houve crescimento de gravidez não-planejada – os pesquisadores analisaram números de partos e abortos.

“‘(…) se carnaval e sexo tivessem tanto a ver, teríamos aumento de partos em outubro. E é o mês com menor número de nascimentos. Isso acontece em todo o País’, afirmou. Passos lembrou ainda que o serviço de DST da UFF é referência para a região metropolitana do Rio.” (THOMÉ, Clarissa. Carnaval 2008: pesquisa põe em dúvida relação folia-sexo. Estadão, 23 de janeiro de 2008. Disponível em <http://www.estadao.com.br/geral/not_ger114098,0.htm>. Acesso em 07 de fevereiro de 2008)

Grupo Contra os Reis e as Religiões:

http://www.grupos.com.br/group/semsenhores

semsenhores@grupos.com.br

Crime da elite é só brincadeira de mau gosto?

11 janeiro 2008

Um índio da etnia xacriabá foi espancado até a morte na madrugada de segunda-feira(17.09), em Miravânia, MG. Os autores do crime são três garotos,de 15,16 e 18 anos,da classe média do local. Segundo o delegado que apurou o crime, os rapazes pertecem a “famílias conceituadas da região”. À polícia, os adolescentes disseram que, no trajeto, o índio esbarrou em um deles sem querer, o que os irritou. Em abril de 1997, jovens de classe média atearam fogo em Galdino, índio que dormia num ponto de ônibus em Brasília. Foi apenas uma brincadeira, alegaram na Justiça. Em junho desse ano, no Rio de Janeiro, jovens de classe média espancaram a trabalhadora Sirley Dias. Para eles, Sirley era uma prostituta, o que justificaria a agressão. Boninho, um dos diretores do BBB da Globo, gosta de se divertir atirando ovos nas pessoas do alto de um apartamento em Copacabana. A brincadeira atrai a socialite Narcisa Tamborindeguy e também João Eduardo, neto de Leonel Brizola. Narcisa disse que o arremesso de ovos contra pessoas nas calçadas é apenas uma brincadeira entre amigos. O Jornal de Debates pergunta: crime da elite é só brincadeira de mau gosto?

JORNAL DE DEBATES. Crime da elite é só brincadeira de mau gosto?. Disponível em <http://www.jornaldedebates.ig.com.br/index.aspx?cnt_id=28&tma_id=1274>. Acesso em 11 de janeiro de 2008.

Comentário de Contra os Reis e as Religiões – O Reino de Deus

A sociedade pede a prisão, penas mais duras ou mesmo a morte de qualquer criminoso mediano que atente contra um cidadão de classe média ou alta. Mas e quanto a estes casos? Quem comenta? Qual a reação da sociedade?

Diz a Bíblia:

“A Deus não amaldiçoarás, e o príncipe dentre o teu povo não maldirás.” (Êx 22. 28)

“Nem ainda no teu pensamento amaldiçoes ao rei, nem tampouco no mais interior da tua recâmara amaldiçoes ao rico; porque as aves dos céus levariam a voz, e os que têm asas dariam notícia do assunto.” (Ec 10. 20)

Walter Nunes Braz Júnior / Contra os Reis e as Religiões – O Reino de Deus

Contra os Reis e as Religiões: http://www.grupos.com.br/group/semsenhores

O Reino de Deus: http://www.grupos.com.br/group/oreinodedeus

Em MS, juiz impede imprensa de noticiar caso de estupro

2 janeiro 2008

Publicada em 21/12/2007 às 20:38

Maristela Brunetto – Especial para O Globo

CAMPO GRANDE – Desde a semana passada, 13 veículos de comunicação de Campo Grande (MS) foram impedidos pela Justiça de noticiar o andamento de um caso de estupros em série cometidos por um estudante universitário, da classe média alta.

O responsável pela censura prévia aos jornais é o juiz substituto da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, Adriano da Rosa Bastos, que determinou que os veículos de comunicação da capital matogrossense, incluindo jornais locais, retransmissoras de televisão e até sites de notícias na Internet, não podem noticiar quaisquer informações sobre as acusações contra Douglas Igor da Silva Fernandes, estudante do curso de gestão comercial de uma universidade de Campo Grande, acusado de ser responsável por ter cometido seis casos de estupros. Ele está preso desde setembro e já é réus em processos criminais que correm na justiça estadual.

O argumento do juiz para a censura é de que o caso corre em segredo de justiça. A decisão do juiz foi enviada às redações dos veículos atingidos por sua medida por fax.

“Determino a Vossa Senhoria que não divulgue mais nenhuma informação sobre o caso, especialmente as datas das audiências, julgamentos no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, e demais atos processuais que acabem por violar o segredo de justiça”, consta em trecho da decisão encaminhada aos veículos. O magistrado atendeu a pedido da defesa do acusado, que cursava Gestão Comercial na Uniderp (Universidade para o Desenvolvimento da Região e do Comércio Exterior) e trabalhava em uma empresa de segurança particular.

Os veículos que estão impedidos de noticiar são os jornais Correio do Estado e O Estado de Mato Grosso do Sul, os dois principais da cidade, além do Jornal de Domingo, A Crítica, Tribuna do Estado, Boca do Povo e Folha do Povo. A censura se estende ainda aos sites Campo Grande News, Midiamax-News, Noticias MS, Aqui TV e Portal MS e a TV Campo Grande, retransmissora do SBT na capital do estado.

Nos ofícios, o magistrado alerta para o crime de desobediência caso qualquer informação seja divulgada sobre o estuprador. O Tribunal de Justiça não se posicionou, alegando que trata-se de um caso sob segredo de justiça e cabe aos interessados recorrerem da decisão do magistrado. O Ministério Público Estadual, autor das ações, não questionou a decisão do juiz de primeira instância.

O réu tentou responder ao processo em liberdade, mas teve habeas corpus negado no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. O caso despertou atenção na cidade porque foi o terceiro de uma série de estupros registrados na cidade em um curto espaço de tempo.

Universitário foi preso em região de classe média alta de Campo Grande

O universitário foi preso no apartamento onde morava com a avó materna e com o tio, em uma região de classe média alta de Campo Grande. As vítimas dele eram sempre abordadas quando chegavam nas residências e muitas vezes escolhidas em bares e boates. São jovens e bonitas.

Ele as ameaçava com faca, levava para um matagal, tirava fotos delas com roupas íntimas, as mandava ficar em várias posições e amarrava as mãos delas para trás com fio antes de consumar o estupro.

“Ele me levou para o mato, tirou minha roupa e tirou fotos minhas só de calcinha”, consta em trecho de depoimento de uma das vítimas lido pelo desembargador João Batista da Costa Marques, da 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça, em sessão realizada em outubro. Por unanimidade, Douglas foi mantido preso. Douglas também roubava objetos de valor, dinheiro e ainda a senha de contas bancárias de suas vítimas. Depois de roubar, intimidava as jovens para que não pedissem socorro imediatamente para que ele pudesse fugir.

A polícia chegou até ele após descobrir digitais no carro de uma das vítimas e depois de monitorar o celular roubado de uma delas. Telefone que ele chegou a vender a um amigo. Há ainda imagens dele sacando dinheiro em caixa eletrônico com cartão roubado de uma das moças.

Um dos casos atribuídos a ele aconteceu no dia 3 de agosto, por volta de 00h40. A vítima abria o portão da residência para entrar, quando foi abordada por um motociclista. Com um punhal nas mãos, ele a imobilizou, vendou os olhos dela, colocou um capacete na mulher e obrigou-a a subir na moto.

Depois de trafegar por cerca de 30 minutos, parou em um local escuro onde roubou e estuprou a vítima. Outra violência sexual que ele é acusado aconteceu do dia 17 do mesmo mês. Desta vez ele estuprou a mesma mulher duas vezes. Três dias depois ele violentou duas amigas dela. Elas foram abordadas quando uma delas deixava a outra em casa. Uma foi estuprada e a outra constatou-se que sofreu atentado violento ao pudor, já que não houve penetração.

BRUNETTO, Maristela. Em MS, juiz impede imprensa de noticiar caso de estupro. Extra Online, 21 de dezembro de 2007. Disponível em <http://extra.globo.com/pais/plantao/2007/12/21/327726230.asp>. Acesso em 02 de janeiro de 2008.

Comentário de Contra os Reis e as Religiões – O Reino de Deus

Proteger a imagem de um inocente? Pouco provável, embora não impossível. Garantia da eficiência da Justiça? Ora, convenhamos! Proteção da imagem de um jovem de classe média alta da capital, e de sua família? É o que parece.

Ou dir-se-á a um rei: Oh! Vil? Ou aos príncipes: Oh! ímpios?” (Jó 34.18)

Walter Nunes Braz Júnior / Contra os Reis e as Religiões – O Reino de Deus

Futilidade, alienação, machismo, puritanismo, hipocrisia: o “caso do elevador” de Viçosa

17 dezembro 2007
 

Sem roupa, sem saúde, sem casa, tudo é tão imoral

A barriga pelada é que é a vergonha nacional

(Ultraje a Rigor)

O caso

Sexo em elevador escandaliza Viçosa

Estudante da UFV é filmada fazendo sexo com um rapaz por uma câmera de elevador e choca a cidade.

Foi um comentário geral. Até quem não está muito antenado aos acontecimentos da UFV ficou sabendo de um tal vídeo que anda circulando pela Internet. Nesta semana, centenas de pessoas receberam um email contendo uma filmagem pornográfica protagonizado por uma estudante da UFV e um rapaz, filho de importante empresário.

O casal, de forma muito mecânica, entrou no elevador do edifício Burle Max (em frente as 4 pilastras praticamente) e em segundos começou as cenas apimentadas. Especula-se que tudo foi planejado, já que ambos estavam sem roupas de baixo. Se não bastasse, a camisinha utilizada por ele estava “disponível” fácil, fácil no bolso de trás.

Ainda não se sabe quem espalhou esse vídeo na Internet mas o fato é que se tornou o acontecimento da semana em Viçosa. Até uma comunidade no orkut foi criada para a estudante. O título da comunidade faz referência a Daniela Cicarelli, que também foi flagrada transando em local, digamos, inapropriado.

Repórteres da Macromídia Agência de Comunicação procuraram a estudante, mas ela não quis se manifestar.

SEXO em elevador escandaliza Viçosa. Viçosa on Line, 14 de novembro de 2007. Disponível em <http://www.vicosaonline.com.br/html/modules/news/article.php?storyid=73>. Acesso em 17 de dezembro de 2007.

A babaquice de sempre

Essa aí todo mundo já viu,olha que a mulher luta jiu jitsu hein,e o
namorado também!

Cidade Universitária é Viçosa,o resto é conversa fiada!

(Carta eletrônica intitulada “Gatinha gostosa da EFI dando no elevador!”, enviada em 13/11/07. O remetente e os destinatários não serão identificados, mas recebi uma cópia em meu correio eletrônico)

Será que não tinham nenhum trocadinho para ir no motel não ?…

Só faltou o audio da cena pra ficar um porno maneirasso…

(Comentário em Viçosa on line, citado acima)

Os artistas são de Viçosa. Um é noivo, claro traindo a noiva, e a outra tem o apelido de Kau.

O caso já foi apelidado de Cicarelli de Viçosa, assim como aconteceu com no caso da Cicarelli de Ipatinga, e o rapaz que estava no vídeo foi apelidade de “Japones” do Elevador. No vídeo da Cicarelli de Viçosa aparece ela e o amante fazendo sexo explícito dentro do elevador. Aproveitem!!!

(VIDEO com casal transando em elevador na cidade de Viçosa/MG (Video Cicarelli de Viçosa). Trankera Hot, 20 de novembro de 2007. Disponível em <http://hot.trankera.org/video-com-casal-transando-em-elevador-na-cidade-de-vicosamg-video-cicarelli-de-vicosa>. Acesso em 17 de dezembro de 2007. Grifos no original)

Se fudeu a vadia! hahaha

Com uma gostosa dessas, até eu metia dentro do elevador

(Comentário em: VIDEO com casal transando em elevador na cidade de Viçosa/MG (Video Cicarelli de Viçosa), citado acima)

opaaaaa…

adorei o video…

show d bola!!!!

soh naum gostei pq,

naum eh eu q toh

ali comendo essa bucetinha linda…

+ ainda vai xegar meu dia…

e do jeito q tah indo

naum demora nada naum…

te agardo ana claudia…

(Outro comentário ao mesmo texto)

Puxa, tinha muita vontade de ver um video assim com um cara que tivesse um pinto de homem, hihihi

(Outro comentário ao mesmo texto)

Pq mulher é td puta.Fato.

Cala a boca[2]

(Tópico “SOCIEDADE MACHISTA”. Comunidade “Ana Cláudia do Elevador – MG”. Disponível em <http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=14048612&tid=2567046281516536034>. Acesso em 17 de dezembro de 2007)

Minha reação

Eu também sou estudante da UFV. Faço Engenharia Civil. No começo, ouvi algum comentário superficial sobre o caso. Cerca de uma semana depois, recebi o tão comentado filme pelo correio eletrônico. Mais exatamente, um arquivo RAR com o vídeo e um arquivo JPG com fotos da moça – apenas dela. Conheço muita gente na UFV, mas ela eu não conhecia.

A partir do dia 17, foi afixado um texto apócrifo em vários locais do campus da UFV, que será citado mais adiante. A esta altura, eu já tinha algumas idéias em mente para expressar e aproveitei para fazê-lo (com demora, preciso admitir). A partir deste texto apócrifo, desenvolvi o meu na noite do dia 22. No dia 23, o afixei nos mesmos locais onde vi o primeiro. Seguem ambos (o meu texto citando o primeiro):

Alienação, mexerico, puritanismo, e outras coisas: tudo sobre o caso do elevador

Você teve coragem de atirar a primeira pedra?

Não é porque no Recanto das Cigarras, na Reitoria, no Bernardão, na Biblioteca, na festa da Nico Lopes, na dos Largados, além de muitos outros lugares, não tinham câmera, que você pode se achar mais esperto ou melhor do que os outros!

Você teve SORTE por um FILHO DA PUTA não ter filmado seus PODRES e os espalhado na internet!

Você achou o filme um absurdo?

Você não viu nada…

ABSURDO é saber que centenas de famílias no bairro Nova Viçosa/Posses (e outros bairros) vivem na miséria e passam fome, enquanto no RU se desperdiça quilos e + quilos de comida diariamente…1

ABSURDO é ver a criminalidade de Viçosa crescer cada dia mais só para sustentar os viciados…

ABSURDO é perceber que depois de quase 4 anos de mandato da prefeitura, Viçosa não melhorou em nada, suas calçadas continuam destruídas, suas ruas tumultuadas, sua cultura pobre e por aí vai…

Porque você não passa a divulgar algo que realmente tenha importância?

CHEGA DE HIPOCRISIA! DELETE ESTA HISTÓRIA!

Eu não sou o autor do texto acima. Gostaria de parabenizá-lo2. Meu contato está no fim do texto.

Se alguém acredita que nossa sociedade é liberal, já escrevi “Sociedade licenciosa ou puritana hipócrita?”3 para provar o contrário.

Quem já procurou uma conversa inteligente ou já “pescou” as conversas ao seu lado no campus da UFV sabe que os seus estudantes são mais alienados do que o público externo pensa.

Mas sabe de uma coisa? Vamos falar do caso do elevador, sim. Mas que tal falarmos de…

alienação, puritanismo, apatia política, mexerico,…?

Quem soubesse, no início da década de 90, que a internet se expandiria entre a população, não seria leviano de sonhar com uma rede a driblar censuras, resistir a ditaduras, derrubar preconceitos, unir pessoas. Mas quem tivesse tal sonho estaria profundamente decepcionado hoje. Em uma conta de correio eletrônico chegam em primeiro lugar spams e ameaças de vírus, e em segundo lugar textos e imagens de mau gosto ou com balelas religiosas. Conversar sobre a pouca oferta de vagas no alojamento da UFV, os problemas de Viçosa ou a farsa do governo Lula ainda são coisas para “bicho grilo”.

E por falar em atirar a primeira pedra, naquele caso bíblico houve um flagrante de adultério, mas apenas a mulher foi pega e levada para ser apedrejada. E o homem? Ele também deveria ter o mesmo castigo (Lv 20. 10, Dt 22. 22). Mas provavelmente ele era um fariseu, de acordo com um comentarista bíblico4. No nosso caso, o machismo também vai se mostrar. Afinal, quantos se lembram do rapaz do caso?

Você ainda acredita que as câmeras existem para sua segurança? Ou serão para sua vigilância? Antes, você não tinha que temer câmeras porque não era bandido. Hoje também não, porque não faz sexo a não ser a portas trancadas com a pessoa que a sociedade cristã lhe permite, não se envolve com política e nem faz qualquer coisa “condenável”. Virá você no futuro a ter de controlar suas expressões faciais diante delas como os cidadãos do mundo do “1984″ de George Orwell?

Os que hoje compartilham flagrantes de sexo por câmeras e fotos de mulheres nuas tiradas pelo namorado, o “pegador” e a “chifradora” de hoje serão os pais puritanos do futuro. Quanto material pornográfico já haviam consumido aqueles que rebaixaram a sargento da Força Aérea estadunidense Michelle Manhart por ter posado para a Playboy estadunidense ou os que demitiram da TAM a comissária de bordo Priscila Cabral também por ter posado nua para uma revista?5 E o que acontecerá (ou já está acontecendo) com os personagens do nosso caso?

O reino de Deus é um reino de, entre outras coisas, hipócritas, perante a sociedade e perante si próprios. E também de alienados.

Walter Nunes Braz Júnior – graduando de Engenharia Civil

w42739@yahoo.com.br / oreinodedeus@grupos.com.br

http://www.grupos.com.br/blog/oreinodedeus

UFV, 23 de novembro de 2007

1 A própria administração do Restaurante Universitário chegou a dar uma demostração deste desperdício em uma ocasião. Foram empilhados pacotes de arroz e feijão, nos dois salões, equivalentes ao desperdício diário apenas destes alimentos: 700 kg. Não me lembro bem do número de refeições servidas por dia na época, mas apenas no almoço eram algo perto de 4.400.

2 Como eu já tinha o hábito de afixar textos sobre vários assuntos no campus, realmente houve quem pensasse que este também era meu. Cheguei a pensar que o autor fosse alguém afetado diretamente pela repercussão do caso, mas mesmo neste caso as palavras foram sensatas e louváveis.

3 Disponível em http://semsenhores.wordpress.com/2007/12/16/sociedade-licenciosa-ou-puritana-hipocrita, http://www.grupos.com.br/blog/semsenhores/permalink/18439.html e http://www.grupos.com.br/blog/oreinodedeus/permalink/18370.html.

4 Veja “O Novo Testamento Interpretado Versículo Por Versículo”, de Russell Norman Champlin

5 Sobre estes e outros casos, escrevi “Mulher pelada… e castigada”, disponível em Contra os Reis e as Religiões (o blog antigo e este) e O Reino de Deus.

Uma corrente que presta… mas não tem tanto sucesso

Como a mediocridade, o puritanismo, a hipocrisia e a alienação me dão indignação, formulei um desafio. Escrevi uma mensagem que pedi que cada pessoa que a recebesse encaminhasse para as mesmas pessoas para as quais encaminhou o vídeo e para as pessoas de quem o recebeu. Comecei por aqueles estudantes da UFV que constam em minha lista de endereços do correio eletrônico (entre eles, aquele que me mandou o vídeo) e outros endereços que constavam na mensagem. Como sou seletivo quanto a de quem pego um endereço de correio eletrônico, não tenho aquelas pessoas de quem recebo e com quem troco banalidades e mensagens de mau gosto. Mas eis uma resposta que recebi:

De: XXXX <XXXX@XXXX>

Para: “Walter N. Braz Jr.” <w42739@yahoo.com.br>

Assunto: RE: En: Gatinha gostosa da EFI dando no elevador!

Data: Thu, 29 Nov 2007 21:07:06 +0000

Caro Walter:

Favor não me enviar mais mensagens!

não pedi por elas em nenhum momento,achei que isso ia passar,mais recebi de novo,

gostaria de usufruir do direito de não ser incluído nessa campanha.

Agradeço desde já,Atenciosamente XXXX

(Grifo no original)

Nada que eu não esperasse!

Enquanto o governo do Vietnã bloqueia páginas sobre direitos humanos6, o governo da China se preocupa em bloquear os brasileiros UOL e G17 e outras dezenas de países bloqueiam páginas que não rezam as cartilhas de suas religiões dominantes (no duplo sentido) ou de seus governos, um administrador de sala de informática no Brasil tem de se preocupar se o usuário vai trocar banalidades no Orkut, ver vídeos de mau gosto no YouTube ou trocar amenidades em um bate-papo, e quando ele usa um filtro de acessos, o pior é que é forçoso lhe dar razão.

Walter Nunes Braz Júnior / O Reino de Deus – oreinodedeus@grupos.com.br

6 SANMARTINI, Giulio. ONG monitora censura na web. Observatório da Imprensa, 21 de novembro de 2006. Disponível em <http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=408ENO001>. Acesso em 17 de dezembro de 2007.

7 CARDOSO, Maurício e PINHEIRO, Aline. Portais UOL e G1, do Brasil, estão bloqueados na China. Citado por Juristas, 21 de março de 2007. Disponível em <http://www.juristas.com.br/n_29172~p_176~portais+uol+e+g1,+do+brasil,+estao+bloqueados+na+china>. Acesso em 17 de dezembro de 2007.

Um folheto evangelístico mostra a ignorância e o preconceito em relação aos ateus

16 dezembro 2007

Veja este folheto. Não menciona “ateus”, mas pessoas “que não estão nem aí com Deus ou a igreja”. Afinal, ateus não existem.

Carta do além

Imagine se o diabo resolvesse escrever uma carta para alguém aqui da Terra.

Dessas pessoas folgadas, que não estão nem aí com Deus ou a igreja. Creio que ela seria mais ou menos assim:

“Caro amigo”:

Saudações infernais!

Estou tão ansioso por nosso encontro final que resolvi escrever-lhe afim de manifestar minha paixão por você. Você é tão perverso, orgulhoso, malvado e rancoroso!

A característica que mais admiro em você é esse seu desprezo por Deus. Noto que você transgride todos os mandamentos da Bíblia.

Particularmente estou torcendo para que você adquira logo a AIDS. Com sua vida promíscua, creio que isto não vai demorar.

Também torço para que você se arrebente quando dirigir bêbado. Isto o traria logo para os meus braços, numa união eterna.

Outro dia, quando se livrou daquele chato que, com a Bíblia na mão, insistia para que você mudasse de vida, nós fizemos a maior festa.

Para encerrar, espero que você permaneça firme. Fuja da igreja. Nunca ouça ou veja aqueles programas que falam do meu maior inimigo – Jesus.

Atenciosamente

Satanás.

Esta carta é uma peça de ficção. Mas o seu conteúdo é verdadeiro. se você não gostou do que nela está escrito, vai gostar menos ainda de ir para o inferno. Ainda há tempo de se arrepender de seus pecados e se entregar a Jesus.

SOCIEDADE BÍBLICA EBENÉZER. Carta do além. Disponível em <http://www.folhetosebenezer.com.br/imagens/folhetos_s1_03.jpg>. Acesso em 02 de outubro de 2007. Grifos meus.

Eu já observava, ainda quando era cristão, o quanto os cristãos são despreparados para o evangelismo, pelo menos no Brasil. O Brasil tem 73,6% de católicos e 15,4% de evangélicos. Uns e outros usam o termo evangelismo sem fazer idéia de o que isso significa. Quando esses cristãos distribuem folhetos ou fazem qualquer outra atividade evangelística, é mais provável (isso é estatística) que conquistem cada um fiéis do outro grupo ou os próprios desviados. Já imaginou um cristão mediano evangelizando um judeu? Já os sem religião são 7,3% da população, de acordo com o censo 2000 do IBGE (http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2000/tabulacao_avancada/tabela_brasil_1.1.2.shtm), não poucos estilo minha-religião-é-Deus.

O retrato, ou melhor, a caricatura que os religiosos têm do público fora dos seus arraiais parte do pressuposto da superioridade não só das suas religiões em relação às outras como dos seus adeptos em relação ao resto da humanidade. Sem essa idéia, não parecerá absurdo que ateus possam ter padrões éticos, hábitos saudáveis, uma vida sexual sem compulsão ou perversões, sanidade mental, enfim, ser pessoas normais, equilibradas e confiáveis.

Entre os sem religião, os ateus, dizem alguns, devem ser 1 a 2%. É uma minoria numericamente desinteressante (para os missionários)! E também mais difícil de conquistar. Os poucos religiosos que tiveram coragem de debater com ateus sabem disso. Então, uma boa política (para os cristãos) é simplesmente ignorar os ateus. Isso não é paranóia! Sobre isso, recomendo o texto “Longe dos olhos de ver”, de Daniel Sottomaior (http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos/fd120320032.htm). O próprio censo do IBGE, ao especificar a opção “religiões indígenas”, enquanto força os ateus, bem mais numerosos, a se enquadrarem na categoria “sem religião”, no mínimo cometeu um descuido grosseiro. Aliás, é como se os ateus fossem apenas os “sem igreja” ou “revoltados”, pessoas em crise que um dia voltarão para Deus ou se auto-destruirão na revolta contra Deus, o mundo e a vida. Tudo, menos pessoas que realmente não crêem em qualquer deus. Afinal, existe um deus. Imaculada V. S. Aranha também fala sobre isso em “Ateísmo cristão” (http://paraisoconcreto.blogspot.com/2007/08/atesmo-cristo.html).

Daí, obras como a supracitada, contendo preconceito, difamação deliberada ou ambos.

Walter Nunes Braz Junior / O Reino de Deus – oreinodedeus@grupos.com.br

Publicado em 02 de outubro de 2007

Mulher pelada… e castigada

16 dezembro 2007

Introdução

Os cristãos citam a pornografia como indicativo da depravação da nossa sociedade. Mas, nisso, eles, em primeiro lugar, demonstram mais sua própria ojeriza ao sexo produzida por uma programação mental contraditória, arbitrária e degradante do que uma suposta profusão de luxúria, como se a sexualidade em si, e não o seu exercício degenerado ou imprudente, fosse problemática. E, em segundo lugar, tentam provar uma coisa usando uma prova em contrário. Afinal, se na pornografia as mulheres são desinibidas e o sexo parece bom (ainda que essa aparência seja artificial), isso nos prova, como se já não soubéssemos, que homens e mulheres, já conhecidos ou não, se encontrarem em uma ocasião da vida normal e terem uma bela transa para todos os parceiros não é cotidiano.

Há cristãos com dúvidas como se é possível uma amizade pura (que eu poria entre aspas) entre homem e mulher1 ou se é pecado ir ao motel com o cônjuge2. Enquanto qualquer naturalidade do cristão em relação ao sexo é hipocrisia, seja perante os não-reacionários, seja perante si mesmo, a anatematização que o cristão faz ao sexo é sincera, guardada a falta de coerência dele consigo mesmo (observemos que ainda hoje se usa o termo “pureza” como antônimo de sexualidade).

Vou mostrar alguns casos de mulheres que pagaram pelo crime da nudez.

1 EXISTE amizade puríssima entre homem e mulher? Disponível em <http://forum.arcauniversal.com.br/viewtopic.php?t=556>. Acesso em 12 de dezembro de 2007.

2 NORONHA, José Adelson de. Ir ao motel com o marido é pecado? Verbo Eterno, 20 de agosto de 2007. Disponível em <http://verboeterno.wordpress.com/2007/08/20/ir-ao-motel-com-o-marido-e-pecado>. Acesso em 12 de dezembro de 2007.

Priscila Cabral, comissária de bordo. Brasil, 2001

TAM demite aeromoça que tirou foto pelada para pagar escola

FABIANA FUTEMA

da Folha Online

Um ano após ser demitida pela TAM, a comissária de bordo Priscila Cabral juntou forças para contar sua história ao público. A comissária foi demitida depois que seus colegas de trabalho descobriram que antes de entrar na TAM ela havia tirado fotos sem roupa e sido capa de uma revista erótica.

“Enfrentei um período de depressão e só agora resolvi contar minha história. Aceitei calada esse período mas resolvi limpar meu nome.”

Priscila disse que só aceitou tirar as fotos porque estava com as mensalidades do curso preparatório para comissários em atraso e dessa forma não poderia prestar o exame de admissão do DAC (Departamento de Aviação Civil).

“Não fiz as fotos para me promover. Era uma questão de necessidade. Precisava pagar o curso ou desistir do sonho de ser comissária.”

Com o cachê de R$ 650 recebido em 1999, Priscila pagou as mensalidades atrasadas, passou nos exames e pouco tempo depois foi contratada pela TAM. Segundo ela, seu trabalho começou a se destacar logo que entrou na companhia aérea.

“Recebi vários elogios e comecei a fazer uma série de trabalhos relacionados à prevenção de acidentes em aeronaves.”

Para Priscila, sua demissão foi motivada justamente pelo sucesso de sua carreira. “Seu eu não estivesse sendo tão reconhecida, o caso teria passado despercebido.”

A assessoria da TAM informou que Priscila foi demitida porque houve uma solicitação do grupo de trabalho do qual ela fazia parte. Segundo a assessoria, o grupo se sentiu “moralmente ofendido” pelas fotos que saíram na revista.

Mas Priscila nega que isso tenha ocorrido. “Minhas colegas têm medo de serem demitidas. Mas me disseram que foi a chefia que pediu a minha cabeça.”

Priscila não foi a primeira comissária da TAM a tirar a roupa para uma revista erótica. Outra funcionária da empresa já posou para a Playboy. A diferença é que nesse caso a comissária já era funcionária da TAM. Mesmo assim, não houve punição para a funcionária.

A TAM informou que existem regras de conduta a serem seguidas pelo pessoal de atendimento direto ao público. As regras regulam desde o decote das blusas e cumprimento das saias até o penteado e cor das unhas e maquiagem das comissárias.

A presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Graziella Baggio, disse que não sabia nem o que dizer sobre o caso de Priscila. “É a primeira vez que escuto uma história dessa. Não posso opinar se é certo ou errado.”

Priscila disse que depois da demissão, encontrou barreiras para encontrar emprego em outras companhias aéreas. “Quando descobriam o motivo da minha demissão, ninguém queria me empregar. Ainda existe muito preconceito.”

Apesar de todo o constrangimento, Priscila não pretende processar a companhia aérea.

“Ainda quero voltar para a aviação e uma ação dessas não facilitaria minha vida. Tudo que quero mostrar é que, em nenhum momento, fugi das normas de conduta da companhia aérea.”

Desde novembro, Priscila trabalha como professora numa escola preparatória para comissários.

FUTEMA, Fabiana. TAM demite aeromoça que tirou foto pelada para pagar escola. Folha Online, 18 de fevereiro de 2002. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u41885.shtml>. Acesso em 12 de dezembro de 2007.

Fabíola Rodrigues, funcionária pública. Brasília, 2004

Strip-tease causa embaraço em ministério

Um strip-tease provocou embaraço no Ministério da Agricultura. Uma funcionária da pasta tirou fotos em poses eróticas como num ensaio sensual.

De acordo com o jornal O Globo, o ensaio acabou distribuído por e-mail. As fotos de Fabíola Rodrigues Santos da Silva, de 18 anos, foram tiradas em um dos gabinetes do Ministério da Agricultura.

O ministro Roberto Rodrigues mandou abrir uma sindicância para investigar de quem é a responsabilidade pelo ensaio. A sala 940-A, em que foram feitas as fotos, fica no 9º andar, em cima do gabinete do ministro.

No local, trabalham dois assessores diretos do segundo homem-forte do ministério, o secretário-executivo José Amauri Dimarzio. Fabíola até a semana passada trabalhava na seção de protocolo, contratada por uma empresa que presta serviços administrativos ao ministério.

Na quinta-feira, ela foi afastada e, ontem, decidiu pedir demissão. Ainda não há previsão de quando a investigação será concluída. Funcionários que trabalham no andar deverão ser chamados para prestar depoimento.

Fabíola entrou no ministério em novembro de 2003 como estagiária. Ela trabalhou na seção de controle de pragas até meados de 2003, quando foi transferida para o protocolo. Em janeiro, foi contratada como auxiliar pela empreiteira Federal Service, mas não mudou de função. Recebia R$ 480.

TERRA. Strip-tease causa embaraço em ministério. Terra, 22 de junho de 2004. Disponível em <http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI329600-EI1194,00.html>. Acesso em 11 de dezembro de 2007

F. F., estudante universitária. Marília (SP), 2006

Foto de sexo causa tumulto em faculdade

PM teve de escoltar aluna cujas imagens saíram no Orkut

Chico Siqueira

ESPECIAL PARA O ESTADO

ARAÇATUBA

A universitária F.F., de 24 anos, estudante de Direito na Fundação de Ensino Eurípedes Soares da Rocha, em Marília, interior de São Paulo, teve de ser retirada com a proteção da polícia de dentro da sala de aula depois que fotos íntimas dela foram colocadas na internet.

Nas imagens, que foram enviadas por e-mail e ficaram disponíveis no site de relacionamentos Orkut e em blogs, F., filha de um conhecido advogado da região, aparece fazendo sexo com dois homens. As fotos, afixadas até na cantina da escola, foram colocadas na rede com endereços eletrônicos e telefones da moça e do namorado.

Em menos de 24 horas, mais de 10 mil mensagens contra os dois foram registradas no Orkut. Depois da divulgação, a universitária, familiares, amigos e seu namorado (que não aparece nas fotos) passaram a ser alvo de ofensas por telefone, e-mail e até pessoalmente.

Na noite de quarta-feira, ao entrar na escola, F. passou a ser ameaçada por colegas de vários cursos, que formaram grupos do lado de fora da sala de aula. Com ofensas e gritaria, criaram tumulto no pátio da escola.

Um dos professores trancou a estudante na sala para evitar que ela fosse agredida e chamou a Polícia Militar. Os policiais chegaram em cinco carros e foram obrigados a usar gás pimenta para desfazer o tumulto, que chegou a suspender as aulas da faculdade. A garota teve de ser retirada e conduzida pelos PMs até um veículo para que pudesse deixar o local.

SILÊNCIO

Ontem, ninguém quis falar sobre o assunto na faculdade, mas uma funcionária do setor de marketing, que se identificou como Ana, disse que a fundação não deverá tomar nenhuma atitude “porque se trata de um caso particular”. Até o início da noite, o Estado não tinha recebido nenhuma nota oficial, o que havia sido prometido pela instituição de ensino.

A família da moça conseguiu retirar as fotos da web no sábado e tem pistas de quem as divulgou. Um amigo da jovem disse que o pai dela vai processar os responsáveis pela divulgação das imagens por calúnia, difamação, violação de privacidade, constrangimento ilegal e ameaça.

SIQUEIRA, Chico. Foto de sexo causa tumulto em faculdade. O Estado de S. Paulo, 18 de abril de 2006. Disponível em <http://txt.estado.com.br/editorias/2006/04/18/cid94535.xml>. Acesso em 11 de dezembro de 2007.

Foto de sexo na Web é montagem, diz universitária

A estudante universitária F.F., 24 anos, afirmou ontem, em depoimento à Polícia Civil de Pompéia, no interior paulista, que as fotos divulgadas na Internet, nas quais aparece fazendo sexo com dois rapazes, são montagem.

A divulgação das imagens na universidade onde a jovem estuda, em Marília (SP), causou cenas de constrangimento e humilhação para a estudante entre colegas, e ela teve de deixar o local escoltada por policiais, na semana passada.

O delegado Válter Bettio, que tomou o depoimento, disse que já há um suspeito de ter divulgado as fotos. Segundo ele, a jovem afirmou que conhecia os rapazes que aparecem nas imagens, mas negou que tivesse mantido relações sexuais com eles. Ele declarou também que ela pretende voltar às aulas na universidade.

TERRA. Foto de sexo na Web é montagem, diz universitária. Terra, 21 de abril de 2006. Disponível em <http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI972295-EI306,00.html>. Acesso em 11 de dezembro de 2007.

Tericka Dye, professora. Paducah (Kentucky, EUA), 2006

Professora é suspensa de escola por participar de filme pornô

Tericka Dye, uma professora de Ciências e treinadora da equipe de voleibol da Reidland High School, no município de Paducah, nos Estados Unidos, foi suspensa da escola por ter participado de um filme pornográfico há cerca de 10 anos.

Os administradores do colégio, que descobriram o filme na última semana, afirmaram que a professora, que lecionava no local há dois anos, não precisa mais retornar para dar aulas.

Estudantes e pais participaram de uma reunião com a presença de Tericka Dye onde foram informados do caso. Alguns alunos deram apoio à professora.

ASSOCIATED PRESS. Professora é suspensa de escola por participar de filme pornô. Terra, 4 de maio de 2006. Disponível em <http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI990636-EI294,00.html>. Acesso em 10 de dezembro de 2007.

Chen Dan, apresentadora de TV. China, 2006

Pelada, não

Chen Dan, festejada apresentadora do “Canal da Mulher”, programa feminino exibido pela TV de Changsha, capital de Hunan, foi demitida do posto por ter posado nua (sem nada aparecendo, diga-se de passagem) num anúncio sobre saúde da mulher para um hospital local. “Garotas inteligentes se amam acima de tudo” era o mote do anúncio exibido não apenas na TV mas nas ruas da cidade em out-doors e cartazes. Nele Chen aparece cobrindo os seiso com a mão em versão sozinha ou acompanhada de modelos.

Acontece que os produtores do programa não gostaram do papo-cabeça e demitiram a garota dizendo que a mulher pelada prejudicava a imagem da emissora.

Chen (ao lado) ainda tentou se desculpar dizendo, em uma carta aberta, que suas intenções eram as melhores e que a nudez era para chamar a atenção do público para um tema importante como a saúde da mulher. Não convenceu.

Mas o episódio causou enorme furor no supreendente território da internet chinesa, com ruidosos bate-bocas sobre a nudez ser apropriada ou não para chamar a atenção para grandes causas ou se é um recurso rasteiro e gratuito. Ano passado, o país teve a mesma discussão quando atrizes usaram fotos nuas tampando os seios para uma campanha sobre câncer de mama.

Num país onde as pessoas vão de pijama ao supermercado fazer compra e onde tirar meleca e escarrar ruidosamente em público não são vistos como ultrapassagem de limites, não deixa de ser curioso tode esse auê em torno da nudez.

Imagino o poder revolucionário de uma transmissão dos desfiles das escolas de samba cariocas aqui na China…

SCOFIELD JR., Gilberto. Pelada, não. No Oriente, 28 de junho de 2006. Disponível em <http://oglobo.globo.com/blogs/gilberto/post.asp?cod_Post=11663&a=25>. Acesso em 11 de dezembro de 2007.

Michelle Manhart, oficial da Força Aérea Americana. Estados Unidos, 2007

Militar americana é rebaixada por posar nua

Uma oficial da Força Aérea Americana foi rebaixada de posição por posar nua para revista Playboy na edição de fevereiro. Michelle Manhart passou de sargento a soldado sênior da Guarda Nacional Aérea, posição que ocupava anteriormente.

“Eu estou desapontada com a corporação. Eles foram muito longe”, disse ela. Manhart informou que entregou um pedido de afastamento à Guarda Nacional, segundo a Sky News.

A militar de 30 anos, mãe de duas crianças, aparece em seis páginas da Playboy. Ela foi fotografada usando uniforme militar e segurando armas, com o título “amor durão”. Nas páginas seguintes, ela aparece parcialmente vestida usando placas de identificação militar enquanto trabalha. Em seguida, ela está completamente nua.

Quandos as fotos ficaram conhecidas, em janeiro, ela foi afastada de suas atividades até o final de investigação. Manhart entrou para a Força Aérea em 1994 e serviu no Kwait em 2002.

TERRA. Militar americana é rebaixada por posar nua. Terra, 15 de fevereiro de 2007. Disponível em <http://noticias.terra.com.br/mundo/interna/0,,OI1413319-EI8141,00.html>. Acesso em 11 de dezembro de 2007.

Thaísa Viana, estudante secundarista. Ipatinga (MG), 2007

Fotos da Cicarelli de Ipatinga (Thaísa Viana), flagrada na micareta

A ação inconseqüente de uma estudante de Ipatinga, no Vale do Aço, Minas Gerais, gerou polêmica na internet esta semana. Desde a última terça-feira, uma comunidade criada no site de relacionamentos Orkut, com fotos dela mantendo relações sexuais com um garoto, alimenta a fofoca na cidade e na rede mundial de computadores. O fato ocorreu na Micareta realizada na cidade de Ipatinga na noite de sexta-feira para sábado. Na comunidade criada com o nome dela, como se fosse da própria estudante, estão três fotos. Em uma das fotos, os dois aparecem unidos e ela de calça baixa, sendo observada por curiosos.

Segundo informações de moradores, a família teria levado a jovem para Belo Horizonte devido ao constrangimento. A “Cicarelli de Ipatinga” seria aluna de um colégio tradicional da cidade.

FOTOS da Cicarelli de Ipatinga (Thaísa Viana), flagrada na micareta. Os Populares. Disponível em <http://ospopulares.com/fotos-da-cicarelli-de-ipatinga-thaisa-viana-flagrada-na-micareta>. Acesso em 11 de dezembro de 2007.

“Imagina como ficou a mae da garota ao ver as fotos? Houve até uma amiga que não parava de enviar mensagem no celular da menina só para enxer o saco.” (CICARELLI de Ipatinga (Thaise Viana), flagrada tirando sarro no meio da micareta. Trankera Blog, 31 de agosto de 2007. Disponível em <http://www.trankera.org/blog/2007/08/31/cicarelli-de-ipatinga-thaise-viana-flagrada-tirando-sarro-no-meio-da-micareta>. Acesso em 11 de dezembro de 2007)

Outros casos

A bandeirinha Ana Paula Oliveira, segundo o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Sérgio Corrêa, não sofre discriminação por ter posado para a Playboy (julho de 2007). O próprio presidente da Federação Paulista de Futebol mencionou escalá-la em jogos da segunda divisão para testar a reação do público3. O afastamento dela da primeira divisão ocorreu cerca de um mês antes de ela aceitar a proposta da Playboy4. Mesmo na época, o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Edson Rezende, disse, em entrevista ao canal SporTV: “Acho que profissionalmente isso não vem a acrescentar nada. Uma pessoa pública deve evitar alguns comportamentos. Mas é um direito que ela tem. É um bom dinheiro”5.

O caso do flagrante de um casal fazendo sexo em um elevador de um edifício residencial pela câmera do mesmo, sendo ela (Ana Cláudia) estudante da Universidade Federal de Viçosa, foi mais próximo de mim. Eu sou graduando de Engenharia Civil na UFV e acompanhei um pouco do mexerico sobre o assunto (um pouco, já que não sou dado a mexericos e não me relaciono muito com quem é). Quanto a este caso, escreverei em breve outro texto separado.

3 COSTA, Fabrício. Bandeirinha terá que passar por um teste de “reação do público” antes voltar à Série A. Citado em: Ana Paula não é discriminada, diz Corrêa (Presidente da Arbitragem CBF). Disponível em <http://anapaulaoliveira.com.br>. Acesso em 12 de dezembro de 2007.

4 FOLHA ONLINE. Entenda a saga da bandeirinha Ana Paula de Oliveira. Folha Online, 07 de julho de 2007. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/ult92u310169.shtml>. Acesso em 12 de dezembro de 2007.

5 FOLHA ONLINE. Chefe da arbitragem da CBF diz reprovar decisão de bandeirinha de posar nua. Folha Online, 27 de junho de 2007. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/folha/esporte/ult92u307623.shtml>. Acesso em 12 de dezembro de 2007.

Conclusão

Eu procurei demonstrar em “Sociedade licenciosa ou puritana hipócrita?” como nossa sociedade é, na prática e especialmente na teoria, cristã e repressora do sexo, apesar do quanto os cristãos querem mostrar que sempre estiveram à frente do seu tempo e do quanto os puritanos afirmam que o sexo tem se tornado livre a ponto de ser banalizado (na verdade, a banalização do sexo é exatamente o contrário, a perversão de algo que não é nem livre nem tido como normal).

Algum cristão já foi demitido ou humilhado por participar da campanha “Quem ama espera”? Alguém já teve medo de sair com aquela camiseta que diz “Castidade: Deus quer, você consegue”? Não é crime comercializar um objeto obsceno (art. 234 do Código Penal), enquanto escarnecer de alguém por sua crença religiosa também é crime (art. 208)? No entanto, são os cristãos os perseguidos, pelos homens e pelos demônios.

Enquanto o mundo da pornografia é fantasia, o mundo da religião repressora é real, e não pertence apenas ao passado histórico.

Walter Nunes Braz Júnior

http://www.grupos.com.br/group/oreinodedeus – oreinodedeus@grupos.com.br

Este texto também está em http://www.grupos.com.br/blog/semsenhores/permalink/19121.html e http://www.grupos.com.br/blog/oreinodedeus/permalink/19120.html

Publicado em 12 de dezembro de 2007


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.